COMUNICAÇÃO

Rádio Frei Caneca FM terá estúdio próprio

Licitação para equipar a rádio pública deve ser aberta até início de novembro

Brasil de Fato | Recife (PE)

,
A construção do estúdio foi possível graças a uma emenda parlamentar do vereador do Recife Ivan Moraes / Patrick Torquato

A partir de uma emenda parlamentar do vereador Ivan Moraes Filho (Psol), serão destinados R$ 200 mil para construção de estúdio e equipamentos da Frei Caneca FM, emissora pública de rádio. A decisão foi comunicada pelo presidente da Fundação de Cultura da Prefeitura do Recife Diego Rocha na última terça-feira (9), durante a audiência pública “Para Onde Vai Nosso Dinheiro?”, quando foi anunciado que a verba já estaria liberada para licitação. O edital de licitação do estudo da rádio deve ser publicado até o início do próximo mês. 

Esse recurso permitirá que a Frei Caneca tenha seu próprio estúdio. Outros R$ 30 mil da emenda parlamentar de Ivan Moraes devem ser destinados para que a Prefeitura do Recife realize um mapeamento da mídia independente, popular e comunitária. De acordo com o vereador, a decisão deve ser comemorada por fomentar a mídia pública no Recife: “A Frei Caneca tem a oportunidade de ser um marco na comunicação do Brasil. É uma rádio pública, é uma rádio que tem boa parte da sua programação destinada à produção independente. É uma rádio que pode ser livre, que pode ser exemplo para o país”.

A Frei Caneca FM é fruto de um projeto de emissora pública municipal de rádio que surgiu em 1960, por meio da Lei Municipal nº 6511. No entanto, o projeto permaneceu no papel durante quase 60 anos, se tornando uma pauta de luta dos movimentos populares vinculados à comunicação popular e independente do Recife. Há dois anos, a rádio começou a funcionar de maneira experimental e, em 2018, estreou sua programação própria, contando com atrações educativas, culturais e inclusivas.  

Ivan Moraes completou afirmando que os primeiros passos da Frei Caneca estão, finalmente, sendo dados, mas que é preciso mais financiamento e estímulo à comunicação popular da cidade. Atualmente, os programas transmitidos na rádio são produzidos por produtoras ou coletivos de mídia que conquistaram o espaço na rádio a partir de edital público, mas sem apoio de recursos financeiros. “O que os programas estão fazendo é prestar um serviço público ao estado, e por isso, os profissionais merecem ser remunerados. As experiências voluntárias são interessantes, mas, se tratando de mídia pública, é preciso falar de investimento também”, conclui.

O Brasil de Fato Pernambuco está na grade da Frei Caneca com o programa Revista Brasil de Fato Pernambuco às terças-feiras, 20h. O programa já entrevistou o monge beneditino Marcelo Barros e a professora e psicóloga Jesus Moura, entre outros convidados.

Edição: Monyse Ravenna