Qual é o bairro?

Em Olinda, Ouro Preto surgiu após desapropriação de fazenda improdutiva nos anos 1960

Área passou por um longo processo de urbanização, com questões que duram até os dias de hoje

Brasil de Fato | Recife (PE)

,
Área passou por consideráveis mudanças ao longo das décadas / Reprodução

Antes de se tornar bairro, Ouro Preto era uma grande fazenda naquela região da cidade de Olinda. Muitas famílias já viviam no local, sem acesso a água encanada, energia e saneamento básico, o que causava enchentes nos períodos de chuva.

Por ser uma área improdutiva, uma grande parte da fazenda foi desapropriada em 28 de julho de 1966. A área foi adquirida pelo Serviço Social Contra o Mocambo, depois chamado de Serviço Social Agamenon Magalhães, e previa a construção de 4.000 casas financiadas pelo BID, o Banco Interamericano de Desenvolvimento, presidido na época por Felipe Herreira.

Por isso, a região onde as casas foram construídas ficou conhecida como Vila Felipe Herreira, mas com o tempo o nome Ouro Preto prevaleceu. Grande parte dos moradores vivia da agricultura, o que impactava na quantidade casas de farinha, lotes com plantações de hortaliças e também o transporte de charrete, pois na década de 1970 ainda não haviam linhas de ônibus para o local.

O que acelerou a urbanização do bairro foi a chegada das emissoras de TV, que dali conseguiam transmitir o sinal para grande parte do nordeste. Hoje, a antiga fazenda que abrigava centenas de moradores é um dos maiores bairros da cidade, com cerca de 30 mil habitantes e problemas ainda não resolvidos desde o início da fundação do bairro, como a recorrente falta de água no local.

Edição: Monyse Ravena