Teatro

Vá assistir à peça Banho de Sol

Em cartaz no CCBB em Belo Horizonte, espetáculo fala de experiências de mulheres privadas de liberdade

Brasil de Fato | Belo Horizonte (MG)

,
"Realidade vivenciada por nós foi tão intensa que nos provocou a criar uma obra para dar voz às mulheres em situação de cárcere”, diz atriz / Foto: André Veloso/Divulgação

Desde o começo, as quatro atrizes só se dirigem ao público no feminino. Algumas pessoas são chamadas ao palco para ajudar a contar a história, e todas são mulheres. Essa opção faz sentido: a escolha da Zula Cia. de Teatro em retratar parte da experiência do trabalho com mulheres privadas da liberdade busca humanizar os relatos e sentimentos, e não tem como fazer isso sem destacar a dimensão do que significa ser mulher nesse contexto.

A peça “Banho de sol”, em cartaz no CCBB de Belo Horizonte até dia 22 de abril, é parte do projeto “A arte como possibilidade de liberdade”, composto, dentre outras atividades, por aulas de teatro que foram realizadas em um complexo penitenciário feminino ao longo de um ano, durante o banho de sol das participantes, às terças-feiras. Eram apenas duas horas, o tempo a que elas têm direito por dia de ficar fora da cela.

“A princípio a ideia era somente fazer com que essas mulheres tivessem a oportunidade de vivenciar uma experiência artística, momentos de troca, de afeto, de integração entre elas e ver como essas atividades reverberavam no cotidiano delas. Mas a realidade vivenciada por nós foi tão intensa que nos provocou a criar uma obra para que esta vivência pudesse dar voz às mulheres em situação de cárcere”, destaca Talita Braga, atriz e fundadora da Zula Cia. de Teatro, que estrela o espetáculo ao lado das atrizes Gláucia Vandeveld, Kelly Crifer e Mariana Maioline.

De fato é possível ouvir essas vozes, e sua potência ecoa por dias. Há histórias tristes, outras emocionantes, simples, violentas. O resumo é que poderia ser uma de nós ali. Esse encurtamento de distância leva a uma reflexão fundamental em tempos ásperos: é preciso retomar a capacidade de empatia, de entrega, de sensibilidade. E outra, mais sutil e talvez mais atual, da importância da arte para humanizar o olhar e a vida.

Serviço

O que: peça “Banho de Sol”

Quando: Até 22/04, de sexta a segunda-feira, às 19 horas. Aos sábados, acontece um debate após a apresentação. 

Onde: CCBB-BH (Praça da Liberdade, 450, Funcionários, BH)

Edição: Elis Almeida