Greve no Paraná

UPES declara apoio aos professores no Paraná e orienta greve estudantil

Os servidores públicos em greve farão grande ato no próximo dia 01, na Praça Santos Andrade

Curitiba

,
Entidade orienta estudantes organizarem assembleias para deflagrar greve estudantil / UPES

Desde o dia 25 de junho, os servidores públicos do Paraná estão em greve. Já são 30 categorias que anunciaram adesão ao movimento grevista.  No primeiro dia, 80% das escolas estaduais não funcionaram e os professores, além da reposição salarial, apresentam inúmeras outras demandas a serem atendidas pelo Governo do Estado do Paraná, que até agora não abriu diálogo. A greve, aprovada em assembleia pelos professores no dia 15 de junho, é por tempo indeterminado e tem como principal reivindicação a garantia do pagamento da reposição salarial dos servidores do estado que desde 2016 estão com os salários congelados. A decisão é uma resposta a falta de diálogo por parte do Governador Ratinho Junior (PSD). 

Os servidores reivindicam um reajuste de 4,94% como reposição salarial dos últimos 12 meses. Segundo a categoria, as perdas acumuladas desde 2016 já chegam a 17%.

A União Paranaense do Estudantes Secundaristas, no último dia 28 de junho, publicou nota oficial comunicando oficialmente apoio a greve e orientando à classe estudantil a organizar assembleias com indicativos de greve dos estudantes.

 

Confira a nota na íntegra

 

ESTUDANTES EM GREVE

NOTA OFICIAL DA UPES

A União Paranaense dos Estudantes Secundaristas, entidade máxima de representação estudantil do ensino fundamental, médio, técnico e profissionalizante no estado, vem por meio desta COMUNICAR OFICIALMENTE APOIO A GREVE DOS SERVIDORES PÚBLICOS, declarada nesta semana. Há quase quatro anos a categoria está sem reajuste salarial e a PL 004/2019 pode destruir a carreira do funcionalismo público.

Além disso, muitos posicionamentos da Secretaria de Educação podem ameaçar a autonomia estudantil, sendo assim reafirmamos nossas reivindicações: CONTRA A LEI DA MORDAÇA; CONTRA A MILITARIZAÇÃO DAS ESCOLAS; CONTRA A EXCLUSÃO DE MATRÍCULAS DE ESTUDANTES e PELA PERMANÊNCIA DA AUTONOMIA DOS GRÊMIOS ESTUDANTIS.

Nesse sentido orientamos a todos os estudantes e grêmios estudantis para que se organizem assembleias nas instituições de ensino para que seja encaminhado a Greve dos Estudantes da instituição e que os mesmos possam se somar nas organizações das atividades locais da greve estadual.

Vivemos um momento muito delicado para ocupar as escolas, nossa ocupação deve ser na mente e nos corações da sociedade, devemos prevenir movimentos isolados e intensificar o movimento estadual de greve, nosso inverno será nas ruas e nas praças, defendendo nossos direitos e garantindo uma educação pública, gratuita, de qualidade e para todos.

Aproveitamos o ensejo para orientar a todos os estudantes a se somarem nos atos da greve estadual que acontecerá no dia 1 de julho por todo o estado do Paraná. Nenhum direito a menos.

 

Confira a nota na íntegra

 

ESTUDANTES EM GREVE

NOTA OFICIAL DA UPES

A União Paranaense dos Estudantes Secundaristas, entidade máxima de representação estudantil do ensino fundamental, médio, técnico e profissionalizante no estado, vem por meio desta COMUNICAR OFICIALMENTE APOIO A GREVE DOS SERVIDORES PÚBLICOS, declarada nesta semana. Há quase quatro anos a categoria está sem reajuste salarial e a PL 004/2019 pode destruir a carreira do funcionalismo público.

Além disso, muitos posicionamentos da Secretaria de Educação podem ameaçar a autonomia estudantil, sendo assim reafirmamos nossas reivindicações: CONTRA A LEI DA MORDAÇA; CONTRA A MILITARIZAÇÃO DAS ESCOLAS; CONTRA A EXCLUSÃO DE MATRÍCULAS DE ESTUDANTES e PELA PERMANÊNCIA DA AUTONOMIA DOS GRÊMIOS ESTUDANTIS.

Nesse sentido orientamos a todos os estudantes e grêmios estudantis para que se organizem assembleias nas instituições de ensino para que seja encaminhado a Greve dos Estudantes da instituição e que os mesmos possam se somar nas organizações das atividades locais da greve estadual.

Vivemos um momento muito delicado para ocupar as escolas, nossa ocupação deve ser na mente e nos corações da sociedade, devemos prevenir movimentos isolados e intensificar o movimento estadual de greve, nosso inverno será nas ruas e nas praças, defendendo nossos direitos e garantindo uma educação pública, gratuita, de qualidade e para todos.

Aproveitamos o ensejo para orientar a todos os estudantes a se somarem nos atos da greve estadual que acontecerá no dia 1 de julho por todo o estado do Paraná. Nenhum direito a menos.

 

Edição: Redação