Povo brasileiro

Festival de história em Diamantina (MG) homenageia Darcy Ribeiro

Com uma programação extensa, evento conta com a participação de pesquisadores, jornalistas, historiadores e artistas

Brasil de Fato | Belo Horizonte (MG)

,

Ouça o áudio:

Darcy Ribeiro foi antropólogo, educador, escritor e político / Foto: Reprodução

Discutir as histórias do povo brasileiro, a partir do pensamento e da obra de Darcy Ribeiro, é a proposta do 5º Festival História (fHist), que acontece entre os dias 2 e 5 de outubro na cidade mineira de Diamantina, no Vale do Jequitinhonha. A programação conta com diversos debates, oficinas, minicursos, exposições, cinema, shows e prosas com jornalistas, autores, artistas e roteiristas de cinema.

Todas as atividades se inspiram na diversidade própria do povo brasileiro, em uma perspectiva de contraposição à visão dominante da supremacia branca, que traz consigo racismo e preconceito. Américo Antunes, coordenador do festival, explica que um dos alicerces da sociedade do Brasil é a diferença entre as origens africanas, indígenas e europeias. “Claro que com muito conflito, muita guerra, escravidão”, ressalta.

“O curso da formação do povo brasileiro, historicamente, é doído. Porque são milhões de escravos, genocídios de índios. Ao mesmo tempo em que há uma sociedade marcada por feridas, existe uma explosão de criatividade. São essas energias criativas que são transformadoras”, completa Américo, falando sobre o legado de Darcy Ribeiro.

Ao longo dos anos

A primeira edição do fHist aconteceu em 2011 com um conceito de criar meios de aproximação do grande público com temas da história, muitas vezes restritos aos ambientes das universidades. Segundo Américo, a ideia do festival é democratizar o acesso a conhecimentos e colocar diversos profissionais para conversar sobre a história do passado e do tempo presente.

Destaques

Entre os temas abordados na programação, estão migrações pré-colombianas, Brasil indígena, história da escravidão, mulheres, representação do povo negro e gastronomia. Estão confirmadas as presenças das lideranças indígenas Marcos Terena e Ayra Tupinambá, da jornalista Adriana Negreiros, da poeta Lubi Prates e de diversos historiadores.

A exposição Mulheres Cabulosas da História, realizada pela fotógrafa Isis Medeiros junto com o Levante Popular da Juventude, está na programação e acontecerá na Casa de Chica da Silva. A taxa de inscrição para o evento varia de R$ 30 a R$ 100.

Darcy Ribeiro

Um dos principais intelectuais brasileiros do século XX: Darcy Ribeiro foi antropólogo, educador, escritor e político. Nascido em Montes Claros, estudou profundamente as comunidades indígenas brasileiras, morando entre eles nos anos 1940 e 1950.

Foi defensor da democratização do ensino público, contribuiu para abrir universidades e escreveu diversos livros, entre eles “O Povo Brasileiro, de 1995. Darcy faleceu em 1997, em Brasília (DF), aos 74 anos.

Edição: Joana Tavares