Coluna

Leicester: campeões do mundo

Imagem de perfil do Colunista
05 de Maio de 2016 às 15:13
História do Leicester se tornou uma das mais bonitas do futebol mundial

O futebol mundial acompanhou, nesta temporada europeia que está se encerrando, um filme ao vivo. A epopeia do Leicester no Campeonato Inglês é daquelas coisas para se contar aos netos.

Em tempos de futebol globalizado, onde se acompanha até o futebol da Rússia por aqui (para quê?), não foi pouca gente em todo o canto que viu o que o Leicester fez.

A TV trouxe proximidade a campeonatos europeus. Isso provoca aberrações, como “torcedores” do Real Madrid, Barcelona, Bayern e afins em pleno Largo da Carioca. Torcedores que nunca vão esquentar o traseiro em uma arquibancada pelos “seus” clubes. Mas, ao mesmo tempo nos fez acompanhar a história das raposas azuis do interior da Inglaterra.

Tal como outros clubes ingleses, o Leicester é um desses clubes-empresa bizarros, cujo dono é um tailandês de nome impronunciável. Por incrível que pareça, isto não torna o título do clube algo menos simpático.

Um empresário que paga cerveja para a torcida em seu aniversário, um treinador decadente, um centroavante problemático, um zagueiro lenhador, um capitão jamaicano e um japonês que marca de bicicleta, em um dos times de menor investimento da competição. Uma combinação que poderia provocar risos de escárnio se tornou uma das histórias mais bonitas do mundo do futebol.

Uma história que caberia perfeitamente em uma comédia pastelão de Sessão da Tarde, como Jamaica Abaixo de Zero. Ou em um documentário, quem sabe?

O roteiro está aí. Um time cujo objetivo era fugir do rebaixamento terminou campeão. De uma cidade de pouco mais de 300 mil habitantes para o mundo, que reverencia o pequeno Leicester.

Realmente, o futebol é um esporte mágico, que rende histórias para a vida toda. Viva o futebol! Viva o Leicester!