Teatro

Grupo de teatro da UTFPR adapta 'As Troianas', de Eurípedes

Novo texto é resultado de pesquisas sobre mulheres que vivem no Brasil em situação de risco ou opressão

Curitiba (PR)

,
Peça 'A Revolução dos Anões,' apresentada pelo grupo de teatro em 2012 e 2013 / Estéfano Lessa

Uma adaptação da peça de teatro grego 'As Troianas' é palco na UTFPR – Centro, em Curitiba. Troianas XXI, com o grupo de teatro Revanche, faz parte de um projeto de extensão universitária da instituição e estreia nesta sexta-feira (14), às 19h15. 

Eurípides apresentou 'As Troianas' no Festival de Teatro grego em 415 a.C., período em que ocorria a Guerra do Peloponeso. O lamento das mulheres de Troia que foram levadas como escravas para a Grécia constitui o enredo. 

Buscando conservar o formato e a intenção do texto original, a adaptação Troianas XXI, escrita coletivamente pelo Revanche, é resultado de pesquisas sobre mulheres que vivem no Brasil em situação de risco ou opressão. Assim, o coro do teatro grego é representado pelas mulheres do campo; a rainha Hécuba é uma transexual nascida em favela; a princesa Cassandra, uma moradora de rua que enlouqueceu pelo desespero e drogas (e mora na praça Rui Barbosa, em Curitiba); Andrômaca, uma imigrante ucraniana que perdeu os quatro filhos e o marido, por falta de acesso à saúde e segurança; e assim por diante.

“O resultado ficou impressionante. Depois de meses caminhando com a peça, eu ainda me emociono nos ensaios e vejo que a arte é singular para nos fazer entender que algumas coisas não deveriam existir no mundo”, declara a professora da UTFPR Maurini de Souza, coordenadora do projeto e diretora da peça. Esse é o quinto trabalho do grupo, que atua desde 2011 e faz parte do Departamento de Linguagem e Comunicação (DALIC) da UTFPR. 

Troianas XXI é produzida por alunos das graduações de Letras, Comunicação, Design, Arquitetura e do mestrado em Linguagens. “Além de oferecermos para a comunidade em geral um espetáculo gratuito de qualidade, buscamos cumprir a função da universidade pública, que é dividir com a população os conhecimentos que adquirimos e compartilhamos internamente”, informa Maurini.

A peça será apresentada no pátio do bloco E da UTFPR, conservando o formato de arena, como no teatro grego. Em outubro, haverá duas apresentações – dia 14, às 19h15, e dia 20, às 12h30. Em novembro, o grupo ainda apresenta, no Centro, dia 11, às 15h15 e prevê uma apresentação na UTFPR sede Ecoville, no Campo Comprido, e na UTFPR Neoville, no CIC.