Diplomacia

Noruega anuncia corte de 50% em repasses contra desmatamento no Brasil

Sarney Filho, ministro do Meio Ambiente, disse que "só Deus pode garantir" redução do desmatamento no país

Michel Temer acompanhado da Primeira-Ministra da Noruega, Erna Solberg, em visita ao país / Beto Barata/PR

No primeiro dia da visita de Michel Temer à Noruega, o governo do país nórdico anunciou nessa quinta-feira (22) um corte de 50% no dinheiro enviado ao Brasil para enfrentar o desmatamento na Floresta Amazônica.

A Noruega já havia manifestado sua insatisfação com o governo brasileiro devido ao aumento do desmatamento na Amazônia, que após anos de queda no Brasil, teve um aumento de 58% em 2016, segundo estudo da Fundação SOS Mata Atlântica e do INPE (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais).

O país nórdico é o maior doador do Fundo Amazônia, instituído em 2008 para captar recursos para ações de prevenção, monitoramento e combate ao desmatamento e para promover o uso sustentável da floresta.

Desde então, Oslo já doou R$ 2,8 bilhões, valor mais de 45 vezes maior que o da segunda colocada na lista, a Alemanha, com R$ 60,7 milhões, de acordo com dados disponíveis no site do Fundo da Amazônia. O último aporte norueguês, realizado em dezembro de 2016, foi de R$ 330 milhões.

O contrato entre a nação nórdica e o BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social), responsável pelo fundo, não prevê limite máximo de recursos, mas diz que o dinheiro será usado em projetos até 2020. Pelo acordo, o valor dos repasses noruegueses estaria atrelado à taxa de desmatamento brasileira.

Oslo também já havia mostrado preocupação com a aprovação pelo Congresso de duas medidas provisórias que reduziam a área de proteção ambiental na floresta, ambas vetadas por Temer dias antes do início de sua visita oficial ao país.

O ministro do Meio Ambiente do Brasil, José Sarney Filho, integra a comitiva que acompanha Temer na Noruega e se reuniu nesta quinta-feira (22) em Oslo com o titular norueguês da pasta, Vidar Helgesen.

O ministro norueguês classificou o recente aumento do desmatamento como uma “interrupção” no panorama observado anteriormente, mas disse estar confiante de que o Brasil consiga voltar a reduzir o desmate. “Por causa das mudanças climáticas, nós gostaríamos de dar o maior suporte possível para o Brasil para salvar a Amazônia”, afirmou após a reunião com Sarney Filho.

Já o ministro brasileiro disse que o aumento do desmatamento se deve a "cortes no orçamento" promovidos pelo governo de Dilma Rousseff. Questionado se pode garantir à Noruega que o desmatamento da Amazônia irá diminuir, Sarney Filho afirmou que “só Deus pode garantir isso”, mas que as medidas para isso foram tomadas e que o governo tem “a expectativa e a esperança” de que o desmatamento diminua.

Temer e sua comitiva desembarcaram em Oslo nesta quinta-feira, após uma passagem pela Rússia. O peemedebista teve um encontro na capital com investidores noruegueses, com quem também tenta obter recursos para o setor energético.

 

(*) Com ANSA.

Edição: Opera Mundi