Lava Jato

Cordel | Lava Jato, a farsa

Cordel sobre depoimento de Lula a Lava jato foi ao ar no Programa Brasil de Fato - Edição Pernambuco

Brasil de Fato | Recife (PE)

,

Ouça a matéria:

"Foi com a força da verdade que Lula se apresentou. A justiça midiática que o sacaneou" / Ricardo Stuckert

Pela segunda vez foi chamado

Como réu para depor

E um juiz tenta expor

Inda que nada achado

Ele tenta de machado

Manipular outra vez

Macaqueando o que o fez

Mas, Lula logo desnuda

A lava jato não muda

A história de quem já fez.

Um mar vermelho se abriu

Para o Lula abraçar

De tudo que era lugar

Curitiba nunca viu

E o povo indeferiu

O ato de malvadez

Exigindo sensatez

Da justiça que faz urda

A lava jato não muda

A história de quem já fez

Foi com a força da verdade

Que Lula se apresentou

A justiça midiática que o sacaneou

Que tem parcialidade

Nega a veracidade

E expõe mais uma vez

A sua estupidez

Com essa prática imunda

A lava jato não muda

A história de quem já fez

A mídia segue ocultando

As falhas desse processo

O canalha faz sucesso

Segue sempre enganando

Provas manipulando

A ética em escassez

Com tanta absurdez

Eita justiça miúda

A lava jato não muda

A história de quem já fez

De tríplex a pedalinho

De tudo já inventaram

Dona Marise mataram

Já tá ficando chatinho

Esse juiz escrotinho

Mas, Lula tem intrepidez

Em dizer mais uma vez

Caro Dr. não se iluda

A lava jato não muda

A história de quem já fez.

Julgamento de ilações

Mudaram o rumo da prosa

Mas não apresentam prova

Vale as elucubrações

E não provam as questões

Que falam com altivez

Cheios de polidez

Expondo apenas a urda

A lava jato não muda

A história de quem já fez.

Lula incomoda muita gente

Milhares incomodam mais

Por isso temem os jornais

Mostrar a massa insurgente

Não aceitando a tangente

Que trata com rigidez

Quem pelo o Brasil mais fez

E para outros se anula

A lava jato não muda

A história de quem já fez.

*Daniela Bento integra a Academia Sergipana de Cordel e o Coletivo Poetas de Luta de Poço Redondo (SE).  

 

Edição: Catarina de Angola