Sociedade

Professora avalia que crescimento da população carcerária se deve à Lei Antidrogas

Soraia Mendes aponta que a maior parte das prisões envolve crimes com baixo grau de violência

Ouça a matéria:

Soraia lembra dados da pesquisa que mostram que 40% do sistema carcerário é composto por homens que cometeram crimes contra o patrimônio. / Reprodução

Os dados divulgados nessa sexta-feira (8) pelo Ministério da Justiça sobre o sistema penitenciário brasileiro não são novidade para Soraia Mendes, doutora em direito pela Universidade de Brasília e professora de criminologia.

Ela afirma que o Conselho Nacional de Justiça apresentou dados semelhantes em 2015 e comenta que a Lei Antidrogas, que entrou em vigor em 2006, fez crescer o número de presos.

A professora aponta que a maior parte das prisões envolve crimes com baixo grau de violência e acrescenta que a sociedade precisa pensar se encarceramento gera aumento da segurança.

Soraia lembra dados da pesquisa que mostram que 40% do sistema carcerário é composto por homens que cometeram crimes contra o patrimônio, e uma quantidade enorme de homens está presa por cometerem furtos, que é um crime de baixa periculosidade. Acompanhe na reportagem de Samanta do Carmo.

Edição: Radioagência Nacional