Coluna

Lendas do Bicho da Carneira e da Perna Cabeluda só existem em certas cidades

Imagem de perfil do Colunista

Ouça a matéria:

Conta a lenda do Bicho da Carneira que ao abrir a cova de um rapaz ele estava inteirinho, omo se tivesse sido enterrado naquele dia / Arquivo ABr
É um morto-vivo muito esperto ou um vivo mais esperto ainda

Estive pensando em dois dos chamados seres do outro mundo que assombram pessoas só em uma única região ou cidade. 

Em Pedra Azul, no norte de Minas Gerais, é famoso e temido o Bicho da Carneira. 

A história do surgimento dele é do começo do século 20. Vou contar como me contaram.

Um rapaz de família rica, mas meio esquisito, morreu e foi devidamente enterrado. Anos mais tarde, o cemitério seria transferido e todos os restos mortais foram levados para o cemitério novo. 

Quando abriram a carneira, quer dizer, a cova do tal rapaz, ele estava inteirinho, como se tivesse sido enterrado naquele dia.

Puseram o corpo num túmulo do novo cemitério, e tempos depois o túmulo apareceu rachado e pelo buraco saía cabelo do defunto, que continuava crescendo. Fizeram novas reformas, e não adiantava.

Contam em Pedra Azul que, até hoje, de vez em quando o Bicho da Carneira, sai do túmulo e vai assombrar gente por aquelas bandas. 

Mas dizem também que o defunto, além de teimar em não se decompor, tem bom gosto: vai aos melhores restaurantes, bebe e come à farta. E manda a conta pros parentes pagarem.

Ou é um morto-vivo muito esperto ou um vivo mais esperto ainda, se passando por morto.

Em Recife conheci gente que acredita pra valer num ser chamado Perna Cabeluda. É o contrário do Saci, pois o Saci tem o corpo todo, só lhe faltando uma perna. A Perna Cabeluda é só a perna, falta todo o resto do corpo.

E pelo que fiquei sabendo ela já aparece em muitas cidades.

Dizem que essa perna pertencia a um motoqueiro. Um pouco antes do ano 2000, ele foi atropelado por um caminhão e perdeu a perna que, agora fica procurando o dono e, enquanto isso, fazendo malvadezas. 

A primeira aparição da Perna Cabeluda foi na casa de um guarda-noturno. Um dia o guarda voltou mais cedo pra casa, foi deitar com a mulher e percebeu que tinha alguém ou alguma coisa debaixo da cama. 

Ele contou que viu só uma perna cabeluda, que lhe deu um baita chute e um arroto muito fedido. E sumiu. O fato foi noticiado no rádio e logo telefonaram para a emissora dizendo que a tal perna apareceu num outro bairro. 

Aí vieram telefonemas de lugares muito diferentes, contando a mesma história: a Perna Cabeluda dava chutes fortíssimos, arrotava fedido e sumia. 

Então, senhores. Se cismarem que tem alguém debaixo da cama, pensem bem:  "Será que vocês chegaram em casa quando não deviam, ou será que é a Perna Cabeluda?". Cuidado!

Edição: Camila Maciel