Coluna

Manipulação da informação é intensa após julgamento de Lula

Imagem de perfil do Colunista
Julgamento de recursos da Lava Jato na 8ª Turma do TRF4. / Sylvio Sirangelo
O Judiciário brasileiro está há tempos comprometido com o esquema golpista

O ex-Presidente Luiz Inácio Lula da Silva teve a pena aumentada para 12 anos e um mês pelos três desembargadores do TRF4,  em Porto Alegre, um resultado já esperado uma vez que o Judiciário brasileiro está há tempos comprometido com o esquema golpista iniciado com a confirmação pelo Senado da destituição da presidenta eleita Dilma Rousseff.

A sentença dos três desembargadores, que nunca esconderam a admiração pelo juiz de primeira instância Sérgio Moro, confirma apenas que o esquema golpista continua de vento em poupa. Sobre a cobertura da mídia comercial, a edição dos jornalões e telejornalões também confirmou o que vem sendo feito, sobretudo pelas Organizações Globo, isto é, a grosseira manipulação da informação. Os colunistas de sempre mais uma vez foram acionados para iludir os incautos tentando convencê-los da isenção dos três desembargadores, que apresentaram os seus argumentos visivelmente orquestrados. 

A decisão confirma que, diferentemente do que afirma a mídia comercial, o jogo se desenrola com cartas marcadas. Cabe então a pergunta que não pode ser omitida: pode-se imaginar alguém ser considerado proprietário de um apartamento sem que apareça algum comprovante? Que justiça é essa que age dessa forma? O que aconteceria em outro país se um réu fosse condenado sem provas?

Mas vale ainda analisar os comentários nas edições dos jornalões e telejornalões. Luiz Inácio Lula a Silva já foi considerado culpado antes de mais nada, ou seja, das apelações a serem feitas pelos defensores do condenado pelo TRF4. Ficou claro a tentativa, sobretudo de O Globo, de demonstrar que os partidos de esquerda e progressistas vão deixar de lado o candidato condenado. O jornal da família Marinho vai seguir na linha fortalecendo a divisão dos setores que não aceitam o projeto do lesa pátria Michel Temer e sua patota, que tentou convencer os banqueiros e empresários vinculados ao capital internacional em Davos que o Brasil é “terra de vocês”. 

Apesar das vantagens sugeridas por Temer e seu ministro da Fazenda, também aposentado do Banco de Boston, Henrique Meirelles, as falas da dupla não tiveram grande audiência. É que as aves de rapina querem muito mais ainda do que está sendo ofertado. Aliás, o lesa pátria Temer teve como colaborador em Davos o prefeito de São Paulo, João Dória, um político enganador das fileiras do PSDB.

Aliás, falando em PSDB seria interessante lembrar que o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso tem várias propriedades imobiliárias, no Rio de Janeiro, em São Paulo e em Paris, por sinal numa área ultra valorizada como a avenida Foch. Não seria o caso de alguma reportagem investigativa pesquisar e divulgar o valor total dos referidos imóveis e verificar quanto FHC recebeu de salários como Presidente e mesmo depois nas palestras proferidas? Se o total recebido comportaria as propriedades mencionadas? Mas como FHC é FHC e não outro ex-presidente, dificilmente algum jornalão ou telejornalão vai se ocupar do tema. 

Podem imaginar, por exemplo, se Lula tivesse uma propriedade na avenida Foch, em Paris, o que a mídia comercial estaria repercutindo? 

Mas como Lula é Lula e é uma ameaça ao projeto que está sendo executado pela patota de Temer, qualquer veredito da Justiça, independente de comprovação, é aceito e repercutido de forma a enganar os incautos. A tônica agora é contra Lula e evitar que continue sendo, segundo as pesquisas, o preferido da população brasileira. 

É claro que a manipulação vai continuar nos próximos dias e semanas. A mídia comercial vai se empenhar com toda a força pela prisão de Lula, quem sabe com as algemas no pés e mãos, como já aconteceu com Sérgio Cabral. 

Esta é a realidade atual. Fica a critério de cada um concluir se o Brasil vive em estado democrático ou de exceção. Ou será que é difícil chegar a alguma conclusão?

E quando esta reflexão estava pronta surgiu a informação segundo a qual um advogado, que faz tudo por minutos de fama, está pedindo ao TRF4 que apreenda o passaporte de Lula. O referido não se conforma com o convite a Lula de participar na Etiópia de um fórum da ONU sobre a fome.

O fato dá bem a ideia a que ponto chega a elite nacional em seu ódio contra Lula. Absurdo maior ainda seria o tribunal aceitar o pedido de alguém que não se conforma com a liderança e credibilidade de Lula.

Edição: Brasil De Fato RJ