Amor e Luta

12 filmes de amor e luta para assistir no Dia dos Namorados

Amor e Revolução, Tatuagem, A Garota Dinamarquesa e mais outros 9 filmes para inspirar

São Paulo (SP)

,
Amor e Revolução traz uma história de amor em meio à Ditadura de Pinochet, no Chile. / Reprodução

Doze de junho é o Dia dos Namorados no Brasil. Embora a data seja considerada meramente comercial, muitos casais aproveitam esse dia para vivenciar as suas mais diversas expressões de amor.

Leia também: Dia dos Namorados foi criado em 1949 por João Doria, pai do prefeito de São Paulo

Fazem parte desta lista obras como Os Sonhadores, que narra a história de um triângulo amoroso que acontece em meio ao levante popular de 1968, na França, ou, então, o filme Olga, que conta a trajetória de Olga Benário e Luiz Carlos Prestes. O casal vive um amor que não poderia existir para os nazistas do período.

A lista traz, ainda, longas que contam boa parte das histórias da Ditadura Militar na América Latina, como Amor e Revolução, Tatuagem e Flores Raras. Entre as obras presentes na lista, há também documentários, como o brasileiro O Encontro das Águas, a história de duas mulheres negras que decidem ficar juntas.

Confira abaixo 12 filmes que contam as mais diferentes histórias de amor e luta para ver nesse Dia dos Namorados:

1 - Olga (Jayme Monjardim I BRA, 2004)

Olga Benário é uma militante comunista encarregada de acompanhar Luís Carlos Prestes na sua volta ao Brasil para liderar a Intentona Comunista de 1935. O casal se apaixona e, após o fracasso da revolução, Olga é presa com Prestes. Mesmo grávida é deportada pelo governo Vargas para a Alemanha nazista. Afastada da filha, Anita Leocádia, Olga é enviada para o Campo de Concentração de Ravensbrück.

2 - Os Sonhadores (Bernardo Bertolucci I FRA, UK, ITA, 2004)

Os Sonhadores relata a história de Matthew, um jovem que, em 1968, vai estudar em Paris. Enquanto a capital francesa vive a efervescência da revolução estudantil, o jovem estudante conhece os irmãos gêmeos Isabelle e Theo, e os três logo se tornam amigos, dividindo experiências e relacionamentos.

3 - Amor e Revolução ( Florian Gallenberger | Alemanha, FRA, Luxemburgo, Reino Unido, 2016) 

Em Amor e Revolução, o cenário é o Chile de 1973, em meio ao golpe de estado que derrubou Salvador Allende do poder e deu lugar ao ditador Augusto Pinochet. Entre as diversas pessoas que protestavam pelas ruas chilenas, um casal alemão, Lena e Daniel são surpreendidos pela polícia secreta de Pinochet, que leva o rapaz para uma prisão. Para socorrer seu amado, Lena resolve se somar ao culto religioso de Colonia Dignidade.

4 - Tatuagem (Hilton Lacerda | BRA, 2015)

Uma trupe no nordeste brasileiro utiliza de sua arte para fazer resistência frente ao período da Ditadura Militar, em 1978. O filme traz histórias de pessoas que vivem romances em suas mais diversas formas, entre elas Clécio e Fininha, que, mesmo opostos politicamente - Clécio é o líder da Trupe e Fininha e um soldado - se permitem viver uma história de amor e descobertas.

5 - O Círculo (Stefan Haupt I SUIÇA, 2014)

The Circle, em tradução livre O Círculo, (do alemão Der Kreis) é um drama suíço que fala sobre o círculo social de gays em Zurique nos anos 1940 e 1950, centrada no The Circle, uma publicação gay e nos eventos sociais patrocinados por ele. Enquanto a polícia investiga três assassinatos de gays, eles expõem o The Circle e seus assinantes por fazer de Zurique um centro internacional de turismo gay.

6 - Pão e Rosas (Ken Loach I 2000)

Pão e Rosas narra a história de uma organização sindical de trabalhadores terceirizados do setor de limpeza nos Estados Unidos. O filme explica como a precarização extrema do trabalho afetava a população e mostra elementos graves de rompimento do tecido social. 

7 - A Garota Dinamarquesa (Tom Hooper | Reino Unido, Estados Unidos, 2016) 

Dois artistas se casam em Copenhague, em 1926. Com o intuito de retratá-lo em suas pinturas, Gedar veste Einar de mulher. É aí, então, que o artista começa a se reconhecer como mulher e passa a se chamar Lili Elbe e passa por uma das primeiras cirurgias de mudança de sexo da toda a história. Sua esposa acompanha todo o processo ao seu lado.

8 - Flores Raras (Bruno Barreto I BRA, 2013)

Ambientado na década de 1950, o filme conta a história de Elizabeth Bishop, uma poetisa estadunidense insegura e tímida, que se muda para o Rio de Janeiro e conhece a arquiteta brasileira Lota de Macedo Soares, filha de um militar na época da Ditadura Militar no Brasil. As duas se apaixonam e adotam uma filha.

9 - Um Reino Unido (Amma Asante I FRA, UK, 2016)

Seretse Khama, primeiro presidente do Botswana, viaja para estudar direito em Londres no final da Segunda Guerra Mundial e conhece Ruth Williams, uma plebeia branca inglesa, por quem se apaixona. Ao decidir se casar com ela, Khama gera uma grande polêmica internacional.

10 - Encontro das Águas (Mestre Negoativo I BRA, 2016)

Documentário conta a história de Rosane Pires e Iara Viana, um casal de mulheres negras lésbicas que decidem se casar com a benção dos orixás. O filme traz o debate sobre as questões de gênero, raça, sexualidade e religiosidade de matriz africana. O filme acompanha a jornada do casal durante os preparativos para o casamento.

11 - Uma história de amor e fúria (Luiz Bolognesi I BRA, 2013)

Um indígena guerreiro imortal, com quase 600 anos de idade, acompanha a história do Brasil enquanto procura a alma perdida de sua amada. O protagonista enfrenta batalhas entre tupinambás e tupiniquins, passando pela Balaiada e o movimento de resistência contra a Ditadura Militar, até a guerra pela água em 2096.

12 - Milk: A Voz da Igualdade (Gus Van Sant I EUA, 2008)

No início dos anos 1970, para mudar de vida, o nova-iorquino Harvey Milk decide morar com seu namorado Scott em San Francisco e abrir uma pequena loja. O casal enfrenta a violência e o preconceito da época em busca de direitos iguais. Milk entra numa batalha política e se torna o primeiro gay assumido a alcançar um cargo público de importância nos Estados Unidos, quando é eleito para o Quadro de Supervisor da cidade de San Francisco, em 1977.

Edição: José Eduardo Bernardes