Jornada de luta

Trabalhadores rurais reocupam fazenda Santa Tereza no Pará

Propriedade pública, segundo o MST, foi grilada por fazendeiro acusado de crimes ambientais

Brasil de Fato | São Paulo (SP)

,
As famílias do acampamento Hugo Chávez estão reocupando fazenda / MST

Na madrugada desta sexta (27), 450 famílias de trabalhadores rurais do Acampamento Hugo Chávez, do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), reocuparam a Fazenda Santa Tereza, no município de Marabá, no sudeste paraense.

De acordo com o MST,  a fazenda foi grilada (registrada de forma fraudulenta) pelo latifundiário Rafael Saldanha de Camargo, fazendeiro influente na região e um dos suspeitos, segundo o Ministério Público, pelo assassinato dos líderes sem-terra Doutor e Fusquinha, há mais de 20 anos.

A fazenda Santa Tereza foi ocupado em junho de 2014. Ainda segundo o MST, a fazenda é, na verdade, uma área pública e Rafael também é acusado de cometer crimes ambientais. Apesar disso, as famílias dos sem terra foram despejadas em dezembro de 2017 pela vara agrária de Marabá. 

A reocupação faz parte da Jornada de Lutas pela Reforma Agrária e Lula Livre que acontece em todo o Brasil, na semana do dia do Trabalhador Rural, comemorado no dia 25 de julho.

A reportagem do Brasil de Fato tentou entrar em contato com os advogados e a assessoria do fazendeiro, porém, não teve resposta. 

Edição: Juca Guimarães