Eleições 2018

Definidos os 13 candidatos presidenciais

Terminado o prazo para as convenções, partidos definem alianças e batem o martelo sobre os presidenciáveis e vices

Brasil de Fato | São Paulo

,
13 candidatos concorrerão às eleições presidenciais em 2018 / Paulo Pinto

O prazo para a realização das convenções partidárias terminou neste domingo (5) e 13 nomes foram definidos por seus partidos e coligações para a disputa presidencial.

Durante convenção em São Paulo, no último sábado (4), o Partido dos Trabalhadores (PT) confirmou o nome do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva como candidato a presidente da República, e Fernando Haddad, também do PT, como vice. Líder nas pesquisas de intenção de voto, o PT fechou aliança com outras três legendas: Partido da Causa Operária (PCO), Partido Republicano da Ordem Social (PROS) e o Partido Comunista do Brasil (PCdoB), que decidiu retirar a candidatura de Manuela D’Ávila para apoiar o ex-presidente. 

“Não existe política no Brasil sem Lula e sem o PT! Nós não temos medo de vocês, nós estamos com o povo brasileiro e vamos voltar a governar esse país, devolver a alegria, devolver os direitos do povo”, disse a senadora Gleisi Hoffmann, presidenta da legenda.

O Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB) também oficializou o ex-governador de São Paulo, Geraldo Alckmin na disputa presidencial. O tucano terá como vice na chapa a senadora do Partido Progressista (PP) do Rio Grande do Sul, Ana Amélia. Além do PP, Alckmin terá o apoio de outras sete legendas: Democratas (DEM), Partido da República (PR), Solidariedade, Partido Republicano Brasileiro (PRB), Partido Social Democrático (PSD), Partido Trabalhista Brasileiro (PTB) e o Partido Popular Socialista (PPS).

O Podemos terá o senador Álvaro Dias como candidato a presidente, e o economista Paulo Rabello de Castro, do Partido Social Cristão (PSC), a vice. A coligação conta ainda com o Partido Republicano Progressista (PRP) e o Partido Trabalhista Cristão (PTC). 

Marina Silva também foi oficializada a candidata da coligação Rede – Partido Verde (PV), com Eduardo Jorge no cargo de vice. Outras duas chapas foram definidas nesse sábado: Cabo Darciolo compõe com Suelene Balduíno, ambos do Patriota. João Amoedo terá a companhia de Christian Lohbauer, ambos do partido Novo. 

No domingo (5), o Partido Pátria para Todos (PPT) anunciou João Goulart Filho, e o professor Léo Alves como candidato a vice, também sem coligações. 

Na quinta-feira (2), o Movimento Democrático Brasileiro (MDB, ex-PMDB), havia confirmado o ex-ministro da Fazenda, o empresário Henrique Meirelles como candidato a presidente. Depois da recusa da senadora Marta Suplicy e do anúncio de sua saída do partido, o MDB decidiu indicar o ex-governador do Rio Grande do Sul Germano Rigotto como candidato a vice. O Partido Humanista da Solidariedade (PHS) declarou apoio a Meirelles. A convenção, realizada em Brasília, contou com a presença do presidente golpista, Michel Temer. 

Outras cinco chapas haviam começado a ser conformadas no mês de julho, mas tiveram os candidatos a vice e as alianças definidas nesse fim de semana. O Partido Democrático Trabalhista (PDT) fechou uma única aliança, com o recém-criado Avante, depois que o Partido Socialista Brasileiro (PSB) decidiu se manter neutro na disputa presidencial. A chapa será composta por dois pedetistas: Ciro Gomes na cabeça, e a senadora do Tocantins e ex-ministra da Agricultura do governo Dilma Rousseff, Kátia Abreu, ex-MDB.

Jair Bolsonaro, candidato pelo Partido Social Liberal (PSL) também acertou uma única aliança, com o Partido Renovador Trabalhista Brasileiro (PRTB), que indicou o general da reserva Hamilton Mourão para a vaga de vice. Ele havia sondado o senador Magno Malta (PR) e a advogada Janaína Paschoal para compor a chapa. No entanto, ambos recusaram. Pela quinta vez consecutiva, José Maria Eymael será o candidato da Democracia Cristã (DC), em uma chapa ‘puro sangue’ com o pastor Helvio Costa. 

O Psol já havia confirmado em sua convenção a composição Guilherme Boulos e Sônia Guajajara para a disputa presidencial. O partido conta ainda com o apoio do Partido Comunista Brasileiro (PCB). Já o Partido Socialista dos Trabalhadores Unificado (PSTU) terá a única mulher a encabeçar uma chapa presidencial: a operária Vera Lúcia disputará o cargo de presidente ao lado do professor Hertz Dias, como vice. 

Edição: Juca Guimarães