Eleições 2018

Quais as consequências do voto branco ou nulo para as eleições?

Opções não são contabilizadas entre votos válidos, mas diminuem participação dos cidadãos na escolha dos representantes

Brasil de Fato | São Paulo (SP)

,

Ouça o áudio:

Urna eletrônica / Divulgação

De acordo com o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o voto em branco é aquele em que o eleitor não manifesta preferência por nenhum candidato ou legenda, pressiona a tecla “branco” na urna e, em seguida, a tecla “confirma”.

Já o voto nulo é aquele em que o eleitor manifesta sua vontade de inutilizar a participação ao digitar um número de candidato que não existe e, depois, a tecla “confirma”

Na prática, tanto o voto nulo quanto o voto em branco não são considerados na soma dos válidos. Apesar dos mitos, mesmo se esses tipos de votos forem maioria entre os eleitores, a eleição não é anulada.

:: Acompanhe a cobertura especial do Brasil de Fato sobre a corrida eleitoral de 2018 ::

Porém, ao escolher uma dessas opções, o votante colabora para a diminuição dos números verdadeiros que cada candidato deveria ter para ganhar uma eleição, permitindo que pessoas com menos preferência se elejam. 

Ao se isentar da escolha entre um dos candidatos, o cidadão perde a oportunidade de escolher conscientemente seu representante, um direito democrático garantido pela Constituição brasileira.

Edição: Camila Salmazio