Coluna

2018: Um ano a ser superado

Imagem de perfil do Colunista
27 de Dezembro de 2018 às 10:00
Prisão política de Lula e vitória eleitoral de Bolsonaro foram acontecimentos importantes para compreender a conjuntura política brasileira / Ricardo Stuckert/ Reprodução
Foi um ano de muitas derrotas para o povo brasileiro

Olá minha gente, desta vez eu estou me dirigindo a vocês não para falar de algum novo tema ou propor algum debate. Quero apenas agradecer a companhia de todo mundo que fez este ano ficar um pouco menos pior para mim. Digo desta maneira porque foi um ano de muitas derrotas para o povo brasileiro. As maiores delas são sem dúvida a prisão política e injusta de Lula e a vitória de Bolsonaro para a presidência da República. Estes dois fatos representam muito do espaço que a direita conservadora ganhou na sociedade como um todo.

Esta é uma realidade que não está acontecendo apenas por aqui não. Tivemos a oportunidade de falar um pouco sobre isso ao longo do ano. Falamos de governos como o de Donald Trump, presidente dos EUA, que é um verdadeiro desastre, assim como de movimentos de extrema-direita e de ideologia fascista que avançam em outros locais também.

Junto a este avanço da direita na sociedade, queria destacar também que foi o ano das chamadas Fake News, que é o nome dado a estas notícias falsas que se espalham como verdades de tal forma e com tanta rapidez que é muito difícil combater. Acho que nunca falei tanto de um tema como este. Especialmente porque além do desastre que é para a política, sinto os impactos na área da saúde. Por isso que se torna tão importante e tão especial a manutenção e o fortalecimento de espaços de produção de comunicação popular, trabalhando de forma tão empenhada na produção de conteúdo de qualidade para nós, para o nosso povo.

Como disse, ter a oportunidade de contribuir tanto com o jornal impresso quanto o programa de rádio me fez ter mais forças para passar este ano. Que tenhamos muita energia para enfrentar todo o tipo de dificuldade que aparecerá em 2019. Mas que estejamos juntos e juntas. Estar próximo de quem nos faz bem é tão importante quanto a própria luta.

 

Edição: Vanessa Gonzaga