Coluna

2019: Cuidado e resistência

Imagem de perfil do Colunista
03 de Janeiro de 2019 às 10:00
A transição entre governos foi marcada pelas indicações polêmicas, como a de Luiz Henrique Mandetta para o Ministério da Saúde / Rafael Carvalho
O sentido de uma Nação está em exatamente fazer com que ela sirva ao povo

Estamos começando o ano de 2019 e junto com ele chegam os mais diversos desejos de feliz ano novo. Que ele seja melhor que o ano que passou, que consigamos realizar nossos desejos, que tenhamos saúde e tudo mais que temos escutado por estes dias.



O certo é que teremos um ano que promete ser tão duro quanto foi o ano de 2018. Se antes tínhamos um governo sem a menor legitimidade após a derrubada de Dilma, agora estamos sob um governo eleito à base de mentiras e das Fake News, que comentei na última coluna de 2018.



Pudemos acompanhar o que eles chamam de transição entre governos. Mas com transparência zero. Pudemos acompanhar todo tipo de ingerência no Supremo Tribunal Federal, que deveria zelar por nossas Constituição, mas parece que existiu apenas de fachada. E sobre o governo federal, apenas víamos as notícias sobre entregar cargos a um ou a outro, e o fechamento de ministérios importantes para o nosso povo, como foi o encerramento do Ministério do Trabalho.



Se por um lado acompanhamos por 2018 inteiro toda uma campanha que foi feita, como será o governo é uma verdadeira incógnita. Sabemos que possui suas divisões e suas contradições. Mas algo que parece consenso entre eles é de fazer um governo de subserviência aos Estados Unidos, mesmo que isso signifique maus negócios para o Brasil,  assim como também querem acabar com a nossa aposentadoria e entregar, privatizando, todas as riquezas que o país acumulou ao longo de sua história.



E aí encerro reafirmando o que disse na última coluna: Não será fácil. Não tem sido fácil. Porém, condição básica é estarmos juntos, todas e todos que acreditamos que o sentido de uma Nação está em exatamente fazer com que ela nos sirva, sirva ao nosso povo.



Vamos nos cuidar. Vamos nos proteger. E, compreendendo o nosso papel na história, ter sabedoria para enfrentar este duro e nebuloso período no qual fomos colocados.



 

Edição: Vanessa Gonzaga