AMÉRICA LATINA

Deputado argentino é baleado em frente ao prédio do Congresso em Buenos Aires

Em pronunciamento, Macri disse que forças de segurança irão "até as últimas consequências para entender o que aconteceu"

Segundo polícia, imagens registradas por câmeras de segurança estão auxiliando na identificação dos culpados / Foto: Ana Granelli/Noticias Argentinas/AFP

O deputado argentino Héctor Olivares, membro da coalizão Cambiemos, e seu assessor Marcelo Yadón foram baleados na manhã desta quinta-feira (9) em frente ao Congresso Nacional do país, em Buenos Aires.

Olivares, de 61 anos, que recebeu um tiro no peito, está internado em estado grave e já passou por uma cirurgia. Yadón foi baleado no abdômen e morreu antes de chegar ao hospital.

O deputado "está em estado crítico e seu estado geral é muito grave por conta de sua instabilidade termodinâmica", informou  o subdiretor do Hospital Ramos Mejía, Juan Pablo Rossini.

Os dois haviam saído para caminhar e praticar exercícios quando foram atingidos por um homem que estava dentro de um carro estacionado a algumas quadras do Congresso. Após os disparos, outro homem, que estava no banco do passageiro, sai do local caminhando, enquanto o motorista sai dirigindo.

Segundo a polícia, imagens registradas por câmeras de segurança estão auxiliando na identificação dos culpados. O automóvel foi encontrado horas depois em uma garagem no centro da cidade.

"Últimas consequências"

Em pronunciamento oficial, o presidente da Argentina, Mauricio Macri, classificou o ocorrido como um "ataque ao deputado Héctor Olivares" e disse que as forças de segurança irão "até as últimas consequências para entender o que aconteceu e encontrar os culpados".

A ministra de Segurança, Patrícia Bullrich, concedeu uma coletiva de imprensa ao lado do secretário de Segurança de Buenos Aires, Diego Santilli, e afirmou que a hipótese considerada pela política é a de que o alvo do ataque era o assessor de Olivares.

A ministra ainda apresentou um vídeo de câmaras de segurança e disse que, nas imagens, "vê-se que o deputado segue tentando salvar sua vida, uma pessoa sai do automóvel, depois outra. O deputado tenta pedir ajuda, mas não atiram nele" e que "o objetivo era Yadón".

Bullrich também afirmou que, por meio das imagens de segurança, a polícia conseguiu identificar o atirador. O autor dos disparos foi identificado como Juan Jesús Fernández, um cozinheiro que conhecia Yandón, informou a ministra.

Edição: Opera Mundi