CORTES

Bolsonaro bloqueia quase R$ 1 bilhão da Educação, Cultura e Esportes

Dos R$ 1,4 bilhão cortados do Orçamento Federal, R$ 967 milhões saíram do MEC e da pasta que agrega Cultura e Esportes

Brasil de Fato | São Paulo (SP)

,

Ouça o áudio:

Manifestações ocorreram contra cortes em todos os estados brasileiros e no Distrito Federal em 15 de maio deste ano / Foto: Nelson Almeida/AFP

Na noite desta terça-feira (30), o presidente Jair Bolsonaro (PSL) editou um decreto que detalhou o corte de R$ 1,4 bilhão do Orçamento Federal. Apesar de ser distribuído entre 9 ministérios, R$ 619 milhões sairão do Ministério da Cidadania, resultante da fusão dos antigos Ministério do Desenvolvimento Social, Ministério do Esporte e o Ministério da Cultura, e R$ 348 milhões do Ministério da Educação (MEC).

A justificativa oficial diz que o corte é uma resposta à piora dos parâmetros econômicos e à redução nas projeções da arrecadação, sendo complementares ao bloqueio de R$ 30 bilhões feito em março deste ano.

Também serão bloqueadas verbas para Meio Ambiente (R$ 10 milhões), Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (R$ 59 milhões), Economia (R$ 282 milhões), Saúde (R$ 6 milhões), Turismo (R$ 100 milhões) e Relações Exteriores (R$ 32 milhões). 

Em maio deste ano, os cortes na educação criaram uma onda de protestos que levou a equipe econômica a retroceder. Apenas neste ano, foram bloqueados R$ 6,2 bilhões da pasta, 25% do orçamento total, fazendo com que o MEC seja o ministério mais atingido.

*Com informações da Folha de S. Paulo

Edição: Pedro Ribeiro Nogueira