Ladeira abaixo

Datafolha: Bolsonaro perde apoio em todas as faixas, dos mais pobres aos mais ricos

Nova pesquisa mostra que aumentou para 39% o índice dos que reprovam o governo do ex-capitão; no NE, rejeição vai a 52%

Brasil de Fato | São Paulo (SP)

,

Ouça o áudio:

Bolsonaro em visita a templo evangélico ao lado de Edir Macedo, no fim de semana / Alan Santos | PR

Pesquisa Datafolha divulgada nesta segunda-feira (2) confirma a queda crescente de popularidade do presidente Jair Bolsonaro (PSL), com apenas 8 meses de governo. Segundo o levantamento, subiu de 33% para 38% a reprovação ao seu governo, na comparação com o mês passado. Já os que aprovam caíram de 33% para 29%.

Resultados semelhantes foram apresentados pela pesquisa MDA/CNT divulgada na semana passada.

Os índices de reprovação são maiores no Nordeste brasileiro (52%) e entre as mulheres (43%) e os pretos (51%). Já as menores taxas de aprovação estão entre os mais pobres (22%), os mais jovens (24%) e os de menor escolaridade (26%). Entre os que mais apoiam Bolsonaro, estão os evangélicos pentecostais, com 46%.

No quesito renda, um dado preocupante para Bolsonaro é que ele vem perdendo apoio também nas classes mais altas. Entre os que ganham mais de 10 salários mínimos, a aprovação ao presidente caiu de 52% em julho para 37% em agosto; e a desaprovação subiu para 46%.

Entre os que se dizem “empresários”, no então, ele ainda tem a aprovação de 48%.

No geral, 32% consideram a conduta de Bolsonaro inadequada, contra 15% que acham o contrário. Além disso, 44% dos entrevistados dizem nunca confiar no que ele diz, enquanto 19% dizem confiar sempre.

O Datafolha ouviu 2.878 pessoas com mais de 16 anos em 175 municípios.

Edição: João Paulo Soares