Corrupção

Cassação de Cunha será retomada nesta segunda-feira (8)

Presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), não determinou data final para votação sobre o assunto

São Paulo

,
Parlamentar é acusado de ter quebrado decoro parlamentar ao ter mentido em CPI sobre existência de contas bancárias no exterior / Lula Marques/AGPT

O processo contra o deputado federal Eduardo Cunha (PMDB-RJ) deve ser retomado nesta segunda-feira (8), com a leitura do pedido de cassação - aprovado no Conselho de Ética - em plenário. A partir desta formalidade, após duas sessões, a questão passa a ter prioridade na pauta de votações da Câmara. Rodrigo Maia (DEM-RJ), presidente da Casa, no entanto, não indicou data para decisão final sobre o caso.

A única sinalização de Maia é de que a votação deve ocorrer antes do dia 2 de outubro, data das eleições. Ele já havia afirmado que a questão não seria decida antes de finalizada a tramitação do projeto de renegociação da dívida dos estados com a União. Na terça-feira (2), não houve acordo sobre a proposta, que também deve ser votada nesta segunda.

Antes da votação da cassação de Cunha, o presidente da Câmara também apresentou, na pauta de votações, uma proposta de alteração nas regras de exploração do pré-sal, que retira a obrigatoriedade de participação da Petrobras na extração em todos os campos.

Articulação

Em suas declarações, Maia nega participar de negociação com o governo interino para que a cassação de Cunha ocorra somente após a votação do impeachment da presidenta Dilma Roussef (PT).

Ministros de Temer têm manifestado preocupação com a possibilidade de que, se cassado, Cunha passe a atuar contra o governo provisório - como forma de retaliação - o que ampliaria o número de votos contrários à deposição de Rousseff.