Justiça

Novo ministro do Turismo de Temer é réu no STF

Marx Beltrão é processado por falsidade ideológica durante gestão na prefeitura de Coruripe

São Paulo

,
Presidente não eleito relutou em nomear parlamentar por conta da acusão na Suprema Corte / Lula Marques/AGPT

O deputado federal Marx Beltrão (PMDB-AL) foi nomeado pelo governo não eleito de Michel Temer para o Ministério do Turismo. Ele é réu em ação penal no Supremo Tribunal Federal (STF), acusado de falsidade ideológica. A posse ocorreu na última quarta-feira (5).

Beltrão esperou cerca de dois meses pela posse do cargo. Michel Temer resistia à nomeação, temendo que o caso judicial pudesse levar ao posterior afastamento do parlamentar, tal como ocorreu com o ministro do Turismo anterior, Henrique Alves, após este ter sido citado em uma delação premiada.

A bancada do PMDB na Câmara dos Deputados, entretanto, exigia a nomeação e ameaçava retaliar o governo em votações na Casa. Para garantir votos no Congresso, Temer cedeu.

Caso

Marx Beltrão é acusado de falsificar comprovantes da Previdência, durante sua gestão à frente da prefeitura de Coruripe, no estado de Alagoas, para não perder repasses de verbas federais.

O governo Temer nomeou diversos nomes investigados ou processados na Justiça, muitos deles envolvidos na Lava Jato. Ministros do peemedebista caíram quando áudios vazados vieram à tona revelando uma articulação com o objetivo de tentar abafar a operação.

Beltrão afirma que “não cometeu nenhum tipo de crime”.

Edição: José Eduardo Bernardes