Articulação

Campanha em defesa dos serviços públicos e contra as privatizações é lançada em BH

Atividade aconteceu nesta segunda (28) e contou com a participação de diversas entidades sindicais

Brasil de Fato | Belo Horizonte (MG)

,
Coletiva de imprensa na ALMG aconteceu no início desta tarde / Reprodução

Uma campanha em defesa dos serviços e servidores públicos foi lançada, nesta segunda (28), em Belo Horizonte. A iniciativa, convocada pela Central Única dos Trabalhadores de Minas Gerais (CUT/MG), conta com a participação de entidades sindicais que representam servidores públicos municipais, estaduais e federais.

Em coletiva de imprensa, realizada na Assembleia Legislativa de Minas Gerais, Beatriz Cerqueira, presidenta da CUT/MG, explica que a campanha pretende dialogar com a sociedade sobre as medidas do governo golpista de Michel Temer que pretendem privatizar diversos serviços públicos.

“O governo Temer quer privatizar tudo o mais rápido possível e quem vai pagar essa conta é a população. Vai pagar na conta de energia, vai pagar com a diminuição do atendimento dos bancos públicos, com a Petrobras que vai diminuir cada vez mais o atendimento à população, com os Correios, que diminuem cada vez mais o número de suas agências e com as instituições de ensino que correm o risco de fechar”, destaca.

Dentre os serviços públicos atacados pelo governo Temer, o Sistema Único de Saúde (SUS) está sendo desmontado com os cortes de verbas e com os investimentos nas operadoras de planos privados de saúde. Bruno Gomes, presidente do Conselho Municipal de Saúde aponta que a situação é gravíssima, sobretudo após aprovação no ano passado da Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 55, que congela por 20 anos os investimentos em saúde e educação. “A saúde é direito de todos e dever do Estado, está na nossa Constituição. No entanto, o governo Temer fez declarações públicas que garantir esse direito a toda a população não cabe no orçamento”, critica.

Além da CUT/MG e do CMS, estiveram presentes na coletiva o Sind-UTE/MG, FETAM, Sind-Saúde, Sindsep/MG, Fetrafi/MG, Sindibel, Sindágua/MG, Sindipetro/MG, Sindicato do Bancários de BH e Região, Sintect/MG, Sindifes, Sindimetro/MG e Sindieletro/MG.

Uma série de manifestações foi anunciada durante o lançamento. Confira:

Agenda

7 de setembro: 23º Grito dos Excluídos. Em BH, a concentração está agendada para as 9h30, na Praça da Rodoviária.

12 de setembro: audiência pública na ALMG, as 15h30, em defesa das instituições federais de ensino.

14 de setembro: dia nacional de mobilização por direitos e dia estadual de mobilização em defesa dos serviços públicos e contra as privatizações.

Edição: Joana Tavares