"Sim, eu posso" - A revolução que vem das letras

Com base em um método cubano, projeto de alfabetização alcança mais de 27 mil maranhenses

O interior do Maranhão, tradicionalmente maltratado pela seca e pelo histórico de má gestão pública – em especial, nos quase 50 anos de oligarquia da família Sarney –, é o lugar onde hoje a esperança faz escola.

Atendidos pelo projeto Sim, Eu Posso, do Movimento dos Trabalhadores Rurais sem Terra (MST) em parceria com o governo do estado, 15 municípios da região estão alfabetizando mais de 20 mil jovens, adultos e idosos com base num método cubano que tem revolucionado a vida de personagens simples do interior do estado.

No ano passado, a Jornada de Alfabetização do Maranhão, em sua na primeira etapa, formou 7 mil pessoas. A conclusão do curso das turmas atuais está prevista para maio deste ano.

As cidades escolhidas estão entre as 30 de menor Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) do estado, o qual amarga alguns dos piores indicadores sociais do país. Juntos, o Brasil de Fato e o coletivo Mídia Ninja foram até a região e percorreram, durante uma semana, mais de 1.700 km em busca das melhores histórias dessa aventura pedagógica chamada Sim, Eu Posso.

O resultado dessa jornada você confere a seguir:

FOTOS

Especial | "Sim, Eu Posso" - a revolução que vem das letras

Vídeos

Créditos

Reportagem: Cristiane Sampaio Edição: Camila Maciel e Vívian Fernandes Fotografia: Leonardo Milano/Mídia Ninja Artes gráficas: José Bruno Lima e Gabriela Lucena Operação de áudio: André Paroche Edição de vídeo: Marcelo Cruz