Influenza

Vacina contra a gripe reduz internações e óbitos

Foram notificados esse ano, no Estado de São Paulo, 65 casos da síndrome respiratória aguda grave, com 11 óbitos

Ouça a matéria:

Campanha, prevista até 1º de junho, tem como meta atingir cerca de 2,4 milhões de pessoas na capital paulista / Arquivo Saúde Popular

A campanha nacional de vacinação contra a gripe, iniciada na segunda-feira em todos os postos de saúde da capital, tem como meta atingir 2.395.236 pessoas, que integram os grupos prioritários, mais suscetíveis a quadros mais graves de doenças respiratórias.

O benefício da vacina é proteger de complicações que podem acontecer por consequência da gripe, como pneumonias, e evitar internações e, em casos mais graves, óbitos.

Esta semana, profissionais de saúde, indígenas e pessoas com 60 anos ou mais de idade estão sendo vacinados.

A partir de 2 de maio serão incluídas as crianças entre 6 meses e menores de 5 anos de idade, as gestantes e mulheres que deram à luz até 45 dias (puérperas).

Em 9 de maio será a vez de pessoas com doenças crônicas (cardiopatias, diabetes, HIV positivo e imunodeprimidos) e outras comorbidades, além de professores.

Notificações em 2018

Segundo Roberto Trindade, clínico-geral, os grupos prioritários são os que mais apresentam predisposição à gripe grave, Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG). “Em São Paulo, esse ano, já foram notificados 65 casos da síndrome respiratória aguda grave, com 11 óbitos”.

Ele reforça que a medida de saúde individual cumpre um papel coletivo de proteção. “A partir do momento que a gente consegue imunizar esses grupos prioritários, a gente reduz os casos na população geral”.

Gestantes

Dados do Ministério da Saúde apontaram que em 2017 a vacinação contra a influenza atingiu 79% das gestantes, quando a meta é de 90%.

Para Elisângela Martins Queiroz, gestante que está entrando no nono mês, a proteção da vacina vem em dose dupla. “É importante principalmente na gestante, porque a gente não está pensando somente na gente. Está pensando no bebê que está vindo, no bebê que acabou de nascer”.

Ela acredita na segurança da vacina e orienta: “a gente já tem muita segurança nas vacinas que a gente têm, então são pouquíssimas pessoas que têm reação. Pela proteção que ela vai dar para você e para o bebê, as mulheres não deveriam ter essa dúvida, esse receio”.

Dia D

No sábado, 12 de maio, será o dia de mobilização nacional para vacinação de Influenza, quando todos os postos de saúde estarão abertos, das 8h às 17h.

O encerramento da campanha está previsto para 1º de junho. Seguindo a recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS), a vacina é a trivalente e protege contra três subtipos do vírus da gripe: H1N1, H3N2 e Influenza B.

Edição: Camila Salmazio