Luto

Brasil perde Raimunda Gomes da Silva, quebradeira de coco e doutora honoris causa

Indicada ao prêmio Nobel da Paz, líder comunitária morreu em casa na noite desta quinta-feira (7)

Brasil de Fato | São Paulo (SP)

,

Ouça a matéria:

Raimunda participou da fundação do Movimento Interestadual das Quebradeiras de Coco Babaçu (MIQCB), em 1991 / Elizeu Oliveira/Governo de Tocantins

A líder comunitária Raimunda Gomes da Silva, conhecida como Raimunda Quebradeira, morreu na noite desta quarta-feira (7) aos 78 anos, em sua casa no povoado Sete Barracas, no norte de Tocantins. 

A prefeitura do município onde ela vivia, São Miguel do Tocantins, decretou luto oficial de três dias. Raimunda perdera a visão do olho esquerdo em decorrência da diabetes, e ficou internada em Imperatriz-MA até outubro.

Raimunda ficou conhecida por lutar pela valorização das quebradeiras de coco da região nos anos 80, e participou da fundação do Movimento Interestadual das Quebradeiras de Coco Babaçu (MIQCB), em 1991. Hoje, o movimento atua em quatro estados.

O trabalho em defesa das trabalhadoras rurais foi reconhecido internacionalmente. Indicada ao Prêmio Nobel da Paz, recebeu o título de doutora Honoris Causa pela Universidade Federal do Tocantins (UFT) e viajou para Ásia, Europa e América do Norte para participar de eventos e compartilhar experiências.

Em 2006, a trajetória dela foi registrada no documentário "Raimunda, a Quebradeira", de Marcelo Silva.

 

Edição: Daniel Giovanaz