América Latina

Mais de mil imigrantes centro-americanos são recebidos na Cidade do México

Na última semana, governo de López Obrador anunciou concessão de vistos humanitários para mais de 8 mil migrantes

Brasil de Fato | São Paulo (SP)

,

Ouça o áudio:

Além dos 1.100 imigrantes que já chegaram nesta semana, outras 1.500 pessoas são esperadas na capital mexicana / Foto: Johan Ordóñez/AFP

Mais de 1.100 imigrantes oriundos de países centro-americanos chegaram à Cidade do México nesta segunda-feira (28). Segundo autoridades locais, outras 1.500 pessoas também já estão a caminho da capital do país.

A secretária de governo da capital mexicana, Rosa Icela Rodríguez, disse em sua conta no Twitter que os imigrantes vindos de Honduras, El Salvador e Guatemala serão temporariamente instalados no Estádio Jesús Martínez.

A caravana entrou no México por meio da fronteira entre o país e a Guatemala no dia 18 de janeiro. A princípio, o objetivo dos migrantes era chegar aos Estados Unidos. No entanto, após o início do êxodo, os EUA passaram a endurecer cada vez mais suas políticas de imigração.

O México, por outro lado, anunciou na última semana que iria receber a nova caravana, concedendo vistos humanitários para que as pessoas pudessem trabalhar no país e obter outros benefícios sociais. 

Um primeiro grupo de pessoas já havia sido recebido no México em novembro do ano passado. Na ocasião, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, havia acabado de anunciar que seu governo estava preparando um endurecimento na gestão dos pedidos de asilo.

Novos vistos

Na última quinta-feira, o governo mexicano, liderado pelo presidente Andrés Manuel López Obrador, anunciou a concessão de vistos humanitários para 8.727 imigrantes da América Central. A medida faz parte de uma nova política de abertura impulsionada pelo mandatário mexicano.

O visto permite que os imigrantes possam transitar livremente em todo o território mexicano, trabalhar e estudar no país, além de ter acesso a direitos sociais e assistência médico-sanitária.

Na última semana, ao menos quatro caravanas partiram de Honduras. A pobreza e a violência de gangues que atuam nos países centro-americanos são os principais motivos citados pelos migrantes para deixar seu país de origem.

As autoridades mexicanas estimam que cerca de 500 mil centro-americanos percorrem o México anualmente na tentativa de chegar aos Estados Unidos.

Edição: Aline Scátola