Agroecologia

Doria veta uso de parque, e MST adia Feira da Reforma Agrária para agosto

Direção do movimento estuda transferir a quarta edição do evento para o Anhembi, na Zona Norte

Brasil de Fato | São Paulo (SP)

,
Feira seria realizada no Parque da Água Branca entre 2 e 7 de maio / Divulgação MST

A 4ª Feira Nacional da Reforma Agrária, que vinha se tornando uma tradição em São Paulo (SP) no mês de maio, será adiada para agosto. Segundo o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), que organiza o evento, a razão do adiamento foi a não liberação do Parque da Água Branca, na Zona Oeste da capital paulista para realização da feira.

:: MST realiza em São Paulo a "maior feira em diversidade do país", afirma dirigente ::

A programação original, sinalizada para 2 de maio, foi transferida para o dia 1º de agosto, com local a definir. Serão quatro dias de comercialização de produtos agroecológicos, debates e apresentações artísticas, além de uma praça de alimentação com pratos típicos de todas as regiões.

No ano passado, aproximadamente 260 mil pessoas passaram pelo Parque da Água Branca, e foram vendidas 420 toneladas de 1,5 mil produtos diferentes.

A direção do MST estuda transferir o evento para o Anhembi, na Zona Norte.

 

Edição: Daniel Giovanaz