Terrorismo

Ataques simultâneos em igrejas e hotéis matam mais de 200 pessoas no Sri Lanka

Templos católicos foram alvos de explosões enquanto celebravam a Páscoa; 13 suspeitos foram presos

Brasil de Fato | São Paulo (SP)

,
Três igrejas católicas sofreram explosões; cristãos formam 7% da população do país / STR / AFP

Três igrejas católicas, quatro hotéis e um complexo de casas no Sri Lanka sofreram, neste domingo (21), explosões simultâneas, que mataram mais de 200 pessoas. Pelo menos 470 ficaram feridas. Entre os mortos, ao menos 32 eram estrangeiros, da Bélgica, China, Estados Unidos, Índia, Holanda, Portugal, Reino Unido e Turquia. 

A polícia prendeu treze suspeitos, todos moradores da ilha, mas, segundo o chefe de governo, Ranil Wickremesinghe, acredita-se que há conexão com outros países. Nenhum grupo reivindicou autoria das ações até o momento. 

De acordo com informações oficiais, as 6 primeiras explosões aconteceram de forma coordenada por volta de 8h45 do horário local – 0h15 no horário de Brasília – na capital Colombo e nas regiões de Katana e Batticaloa. Horas mais tardes dois outros ataques ocorreram na capital. No momento das primeiras explosões, os templos celebravam o Domingo da Ressureição, uma das datas mais importantes do calendário cristão.

Como resposta aos ataques, o governo decretou toque de recolher em todo a ilha. Além disso, impôs bloqueio temporário de redes sociais, como Facebook e Instagram. Em mensagem oficial ao país, o presidente, Maithripala Sirisena, pediu calma à população. "Por favor, fiquem calmos e não sejam enganados por rumores", declarou em mensagem à nação.

Ainda segundo o governo, as escolas do país não devem funcionar até a próxima quarta-feira. Todos os policiais que estavam de folga foram convocados.

*Com informações da Deutsche Welle e do G1 

Edição: Aline Carrijo