História

Seminário prévio à Parada do Orgulho LGBTI celebra 50 anos de Stonewall, em São Paulo

O mote do evento será “Celebrar Nossas Conquistas e Resistir em Tempos de Ódio”, em alusão ao tema da Parada deste ano

Brasil de Fato | Brasília (DF)

,

Ouça o áudio:

Fachada do Stonewall Inn em 1969, ano em que uma batida policial no local, frequentado pela comunidade LGBTI, gerou uma onda de protestos / Foto: Diana Davies/Biblioteca Pública de Nova Iorque

A Aliança Nacional LGBTI+ realiza em São Paulo um seminário em celebração aos 50 anos da Rebelião de Stonewall, nos EUA. O evento acontece na véspera (22) da Parada do Orgulho LGBTI, que ocorre no próximo domingo (23). 

O evento ocorre a partir das 9h do sábado, no Hotel Pergamon, na região central de São Paulo, e deve contar a presença de dezenas de ativistas do Brasil. O mote do seminário será “Celebrar Nossas Conquistas e Resistir em Tempos de Ódio”, em alusão ao tema da própria Parada em 2019: “Nossas Conquistas, Nosso Orgulho de Ser LGBT+”. 

O seminário da Aliança Nacional, segundo seus próprios organizadores, acontece em um momento de avanço do extremismo conservador na política e na sociedade, mas também marcado por avanços institucionais. Em sua opinião, “a mais recente decisão do STF, as principais reivindicações históricas  do  movimento LGBTI  – do ponto de vista do  reconhecimento de direitos e  da proteção legal  – foram atendidas”.   

Experiência Histórica

O episódio, conhecido como Rebelião de Stonewall, celebrado pelo seminário, se iniciou em junho de 1969, em Nova Iorque. Batidas policiais em locais frequentados pela comunidade LGBTI eram corriqueiras. Quando um desses procedimentos ocorreu no bar Stonewall Inn, uma revolta que durou alguns dias se iniciou, tendo como epicentro o bairro de Greenwich Village. O movimento é considerado um marco político dos direitos civis e teve um impacto internacional. 

"É um fato histórico internacional. Havia um movimento mas não tão internacionalizado. Stonewall internacionalizou o movimento LGBTI+. Estamos comemorando. O movimento brasileiro completa 41 anos e o internacional 50 anos”, explica Toni Reis, diretor presidente da Aliança Nacional LGBTI. 

Neste momento cindido – de conquista no STF, mas de ambiente político e social hostil –, Reis vê a oportunidade, e necessidade, de uma nova etapa pela luta dos direitos civis, focada na educação e na cultura. 

"Nós temos muito a comemorar, mas também temos muitos desafios pela frente. Nós saímos do armário e os ultraconservadores também saíram. É importante a gente educar. É preocupante pelos discursos de ódio. Mas é uma oportunidade de nos articularmos com movimentos progressistas, e os liberais também. A LGBTfobia não tem futuro”, assevera. 

O Seminário é realizado em parceria com a Associação da Parada de São Paulo e também com a Rede Gay Latino, além de apoio da Rede Accor de Hotéis.

Confira abaixo a programação: 

9h – Boas Vindas e Contextualização / Apresentação da Carta de São Paulo 

10h –  Contextualização dos Direitos LGBTI e Políticas Públicas na América Latina 

10h20 – Parada SP 2019: 50 anos de Stonewall 

10h40 – Apresentação Aliança SP

11h – Conjuntura lutas LGBTI SP 

11h20 – Avaliação das ações do governo federal no contexto da comunidade LGBTI+ 

12h15 – Encerramento

Edição: Rodrigo Chagas