CELEBRAÇÃO

No aniversário de Lula, apoiadores organizam festejos pelo seu legado e sua liberdade

Ex-presidente e preso político completa 74 anos neste domingo (27); data é marcada por comemoração e resistência

Brasil de Fato | São Paulo (SP)

,

Ouça o áudio:

Milhares de apoiadores de Lula estiveram presentes na Vigília Lula Livre, em Curitiba, para comemorar o aniversário do ex-presidente / Foto: Joka Madruga/Agência PT

Com a irreverência e alegria características do povo brasileiro, milhares de integrantes de movimentos populares, partidos, apoiadores e admiradores do ex-presidente brasileiro Luiz Inácio Lula da Silva organizaram atos em diversas cidades do país e do mundo para celebrar seu aniversário neste domingo (27).

Os festejos para celebrar os 74 anos do líder do Partido dos Trabalhadores, nascido no interior de Pernambuco, marcam também a resistência pela sua liberdade após 568 dias de sua prisão política. 

Uma das principais festas de aniversário organizadas para Lula foi realizada na Vigília Lula Livre, a poucos metros da sede da Polícia Federal em Curitiba (Paraná), onde o ex-presidente está detido desde abril de 2018.

Com um bolo de mais de 5 metros de extensão, feito por grupos da economia solidária, e milhares de participantes de todas as regiões do país que viajaram em caravanas até a capital do Paraná, a festa da Vigília Lula Livre contou com diversas apresentações musicais e falas políticas.

“Estamos vivendo um dia muito especial. O presente que estamos dando a Luiz Inácio Lula da Silva é essa resistência”, declarou a deputada federal Benedita da Silva (PT-RJ), presente na celebração.

A presidenta do Partido dos Trabalhadores, Gleisi Hoffmann, também esteve em Curitiba para felicitar Lula e relembrou seu legado para o país.

"Lula deixa um dos maiores legados de governo ao povo brasileiro e vai deixar um das maiores legados de resistência e coragem ao estar aqui de cabeça erguida e não trocar sua dignidade pela liberdade", afirmou.

Bolo de aniversário para o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva durante comemoração na Vigília Lula Livre, em frente à Sede da Polícia Federal onde está preso desde abril de 2018. Foto: Douglas Mansur

A data comemorativa não passou despercebida no estado natal do ex-presidente, onde estão sendo realizadas confraternizações em vários municípios, e os pernambucanos abusaram da criatividade na hora de comemorar.

Em Caetés, cidade onde nasceu o ex-presidente, a população se reuniu a partir das 8h na casa onde Lula viveu, e realizaram festividades durante toda a manhã.

No Recife, o dia amanheceu com mobilizações no rio Capibaribe, que cruza a cidade. Recifenses realizaram a "Barqueata" Lula Livre, a partir das 8h, navegando em homenagem ao aniversariante, com mais de 30 barcos. Às margens do rio, foram realizados bandeiraços em diversas pontes da cidade. 

Ainda no Recife, quem não quis tomar o caminho das águas, também pôde celebrar os 74 anos de Lula com o Pedal Lula Livre. A ação dos ciclistas teve início às 9h, no Parque da Jaqueira. As ações na capital seguiram por todo o dia e o bolo de aniversário com parabéns foi cortado no final desta tarde, na av. Rio Branco, no Marco Zero.

Em Olinda, a festa foi celebrada já em clima de Carnaval. com a realização do bloco “Parabéns Presidente”. Em Camaragibe, na região metropolitana do Recife, a comemoração acontece na principal praça da cidade.

Manifestantes participam de Barqueata Lula Livre no Rio Capibaribe, em Recife, capital de Pernambuco. Foto: Comitê Lula Livre Pernambuco.

Em São Paulo, no Armazém do Campo, os festejos foram intercalados por reflexões à respeito da prisão do petista, que segue encarcerado em Curitiba desde o dia 07 de abril de 2018. 

Passaram pelo Armazém do Campo mais mil pessoas, que almoçaram o Escondidinho Pernambucano, feito pela chef Carmen Virgínia, e curtiram as atrações musicais como a banda Conjuntura, o DJ Roger e o bloco especial com canções de Belchior, comandado por Taciana Barros, Natália Barros, Igor Brasil e Zeli Silva. 

Entre os convidados, estiveram os deputados Alexandre Padilha (PT-SP) e Nilson Tatto (PT-SP), que falaram sobre os festejos e pediram pressão popular para que o Superior Tribunal Federal (STF) barre a prisão em segunda instância. 

“Em primeiro lugar é um dia de afeto, estive recentemente com ele e tenho que dizer que ele venceu aquela máquina de depressão”, afirmou Padilha. “Mas também temos que repensar os próximos passos e esperamos que o STF cumpra seu papel de guardião da Constituição e faça cumprir a Constituição. Que seja reconhecido o direito da presunção de inocência do ex-presidente Lula.”

Para Nilton Tatto, “é importante comemorar e também trabalhar pela libertação do presidente Lula. Os trabalhadores querem o Lula de volta. Nós precisamos fazer com que a Justiça pare de fazer política. Todos sabem da ilegalidade do processo que levou o Lula à cadeia, dos problemas da Lava Jato, revelados pela Vaza Jato. Boa parte dos milhões de desempregados do país, é culpa da Lava Jato”, encerrou. 

Festa de aniversário de Lula no Armazém do Campo, em São Paulo, é celebrada em uma das ruas da região central da cidade. Foto: Igor Carvalho.

Pedidos de aniversário

Em entrevista concedida ao Brasil de Fato, na última quarta- feira (23). Lula falou sobre as comemorações Brasil afora pelo seu aniversário, e a rotina dentro da prisão em Curitiba. 

Visivelmente emocionado ao falar da Vigília Lula Livre, o ex-presidente afirmou querer passar seu aniversário junto das pessoas que estão acampadas em frente a Superintendência da Polícia Federal, em Curitiba (PR), desde quando foi preso, em abril de 2018.

“Vou até falar para o diretor aqui, o doutor Luciano, que ele poderia vir aqui na hora do aniversário, eu sair daqui com ele e ir lá, soprar as velinhas. São 74 velinhas, e eu não vou ter fôlego para assoprar tudo. Aí eu vou lá, vejo o aniversário, como um pedaço de bolo e volto para cá, não tem nenhum problema”, brincou Lula.

Entre os pedidos de aniversário do ex-presidente está a resistência contra o governo de Jair Bolsonaro (PSL). Durante a conversa, ele pediu que "as pessoas não deixassem destruir o país". Em relação ao contexto internacional, Lula também expressou também sua expectativa pela vitória do candidato Alberto Fernández nas eleições presidenciais da Argentina que acontecem hoje.

"Graças a Deus, nós estamos com expectativa de que [Alberto] Fernandez ganhe na Argentina. Será o meu presente de aniversário", declarou.

Alberto Fernández, apontado como possível vencedor das eleições deste domingo, é uma das personalidades internacionais que parabenizou o ex-presidente brasileiro através de suas redes sociais. 

“Também faz aniversário hoje meu amigo Lula, um homem extraordinário que está preso injustamente há um ano e meio. Parabéns pra você, querido Lula. Espero te ver em breve” escreveu em sua conta no Twitter.

História

Lula nasceu em Caetés, no agreste pernambucano, cidade localizada a 248 km de Recife, capital do estado, em 27 de outubro de 1945. O petista é um dos nove filhos de Aristides Inácio da Silva e Euridice Inácio da Silva, a dona Lindu. 

Em 1952, aos sete anos, Lula migrou para São Paulo com a família em um pau-de-arara, onde moraram em Santos, no litoral paulista. Três anos depois, dona Lindu se separa de Aristides, por conta de violência doméstica, e migra para a capital paulista.

No início da década de 1960, o ex-presidente começa sua trajetória como metalúrgico em uma fábrica de parafusos, onde recebia meio salário mínimo. Cinco anos depois, incentivado pelo irmão, Frei Chico, visita pela primeira vez o Sindicato dos Metalúrgicos de São Bernardo do Campo e Diadema. À época, os sindicalistas buscavam alternativas para enfrentar a ditadura militar. 

No ano de 1969, Lula ocupa o primeiro cargo na direção do sindicato e se casa pela primeira vez, com Maria de Lourdes. Dois anos depois, o petista sofre com a morte da esposa, durante o parto do filho do casal, que também falece.

Se casa com Marisa Letícia em 1974 e um ano depois é eleito presidente do Sindicato dos Metalúrgicos com impressionantes 92% dos votos. Já em 1978 é reeleito com 98% dos votos. 

A trajetória na política institucional tem seu pontapé em 1980, quando participa da fundação do Partido dos Trabalhadores (PT), no colégio Sion. Já no primeiro congresso da nova legenda, Lula é eleito o presidente. 

Sem esquecer a atuação sindical, Lula articula a criação da Central Única dos Trabalhadores (CUT) em 1983, a maior central sindical da América Latina. 

Em 1986, Lula é eleito deputado federal em São Paulo. Três anos depois, se lança, pela primeira vez, como candidato à presidência da República, perdeu. A candidatura se repetiu em 1994 e 1998, com votações expressivas, mas com derrotas nas urnas. 

Porém, em 2002, aos 57 anos, Lula é eleito presidente do Brasil, após derrotar José Serra (PSDB). Outro tucano, Geraldo Alckmin, perde para o petista em 2006, que é reeleito com 58 milhões de votos. 

Desde 2015, Lula enfrenta uma perseguição política promovida pela Operação Lava Jato. O processo é apontado como ilegal por diversos juristas. Em abril de 2018, o petista é preso e se torna símbolo de uma campanha que ganha adesão em todo mundo, pedindo sua liberdade.

*Com informações da Vigília Lula Livre, Marcos Barbosa e Igor Carvalho.

Edição: Luiza Mançano