Manifestação

Estudantes ocupam a Universidade Rural do Pará em protesto contra a PEC 55

No estado, também estão ocupados campi da UFPA, do IFPA, da UFOPA e da UNIFESSPA

Brasil de Fato | Brasília (DF)

,
Ocupação da Universidade Federal Rural da Amazônia nesta quinta (10) / Coletivo de comunicação do Levante

Estudantes deliberaram em assembleia, por cem votos a favor contra seis, a ocupação da Universidade Federal Rural da Amazônia (UFRA) nesta quarta-feira (9). O movimento faz parte de uma onda de ocupações realizadas em escolas de ensino médio, institutos federais e outras universidades públicas contra a Proposta de Emenda Constitucional 55 (PEC 55), antiga PEC 241, que congela por 20 anos os gastos em serviços públicos. 

“A ocupação é politicamente autônoma. A gente está conseguindo gerir muito bem. Já recebemos doações dos professores simpatizantes com a causa e temos o apoio dos técnicos, professores e do próprio reitor, inclusive esteve presente durante a assembleia”, afirma Natália Galvão, 25, estudante de medicina veterinária. 

Ela informa que os alunos estabeleceram regras de convivência para poder administrar a ocupação de forma organizada e democrática. Há equipes responsáveis pela limpeza, pela comunicação, pela infraestrutura e pela alimentação.

Desde quarta, os alunos estão realizando atividades como debates informando sobre o que é a PEC 55 e como a proposta poderá afetar a sociedade se for aprovada.

Outras ocupações

“A nossa luta se soma com a luta dos professores, dos técnicos administrativos e de outras categorias que anunciaram greve no dia 11 [sexta]. A gente veio dar uma força também para os outros alunos. A Escola de Aplicação, antigo Núcleo Pedagógico Integrado (NPI), também está ocupada. Ontem [terça, 8] teve manifestação dos estudantes da escola Pedro Pedroso, que fechou uma avenida aqui em Belém. O IFPA [Instituto Federal do Pará] e UFPA [Universidade Federal do Pará] estão ocupadas. Então, não é um luta só da UFRA, é da sociedade”, avalia Galvão. 

Na região do baixo Amazonas, a Universidade Oeste do Pará (UFOPA) está ocupada desde o dia 3 de novembro e, nesta quinta-feira, ocorreu assembleia geral com a comunidade acadêmica. Segundo o professor Valdomiro Sousa, 55, o objetivo foi convocar os cidadãos a participarem da manifestação nacional contra a PEC 55 e contra Michel Temer que ocorrerá nesta sexta-feira (11). 

Em Santarém (PA), o ato irá percorrer as principais ruas e avenidas da cidade em direção a sede do Ministério Público Federal do Pará (MPF) para solicitar que o órgão mova uma ação contra a PEC.

Segundo a Associação de Docentes da UFPA (ADUFPA), cinco campi do estado estão ocupados, além da Universidade Federal Sul e Sudeste do Pará (UNIFESSPA), de Marabá (PA).  

Nota

Em nota, a UFRA afirma que "respeita a ocupação e mantém o canal aberto para o diálogo desse movimento democrático dos alunos que ocupam algumas dependências do prédio central da universidade".

Edição: Camila Rodrigues da Silva