Serviço público

Rio: fim de mais de 500 contratos na área da saúde ameaça atendimento nos hospitais

Para deputada Jandira Feghali (PCdoB), fim desses contratos é o problema mais agudo dos hospitais no estado

Ouça a matéria:

Os deputados Rosangela Gomes, Hugo Leal, Jandira Feghali e Chico D'Angelo falam sobre a situação dos hospitais federais no RJ / Fernando Frazão/Agência Brasil

O Conselho Regional de Medicina do Rio de Janeiro e deputados federais fluminenses apontam que o fim de mais de 500 contratos na área de saúde ameaça o atendimento nos hospitais federais do estado.

Para o presidente do CREMERJ, Nelson Nahon, a solução emergencial seria manter esses profissionais nos hospitais e a longo prazo realizar concurso público.

Em junho, deputados federais do Rio de Janeiro criaram uma comissão externa para acompanhar a situação dos hospitais federais no estado. Segundo a coordenador da Comissão, a deputada Jandira Feghali, o fim desses contratos em áreas estratégicas da saúde é o problema mais agudo dos hospitais no Rio.

As declarações foram dadas em reunião entre profissionais de saúde e deputados federais na sede do Conselho Regional de Enfermagem, na Glória, na Zona Sul da capital fluminense.

Em nota, o Ministério da Saúde informou que acompanha os contratos vinculados aos hospitais federais para definir a melhor estratégia de qualificação e reposição da força de trabalho.

O órgão afirmou ainda que está trabalhando na reestruturação dos hospitais federais do Rio, com uma proposta de especialização de cada uma das seis unidades federais em determinadas áreas.

Segundo o Ministério da Saúde, isso vai otimizar e qualificar os serviços prestados à população, com a definição de metas. Ainda de acordo com o órgão, não haverá qualquer diminuição da assistência à população do Rio de Janeiro. Pelo contrário, segundo o Ministério da Saúde a expectativa é ampliar o atendimento especializado em oncologia, ortopedia e cardiologia.

Edição: Radioagência Nacional