Venezuela

Por que solidariedade ao governo da Venezuela?

Conversamos com o monge beneditino Marcelo Barros e com o economista Pedro Lapa sobre a Venezuela

Brasil de Fato | Recife (PE)

,

Ouça a matéria:

Ato em solidariedade a Venezuela aconteceu em agosto, no Recife (PE) / Daniel Lamir

A população, por vezes, tem estado confusa sobre o que tem se passado na política brasileira, com tantos acontecimentos diários. Não tem sido diferente com relação aos acontecimentos na Venezuela. E no meio de tanta agitação, manipulação, interesse, muitas vezes as informações podem chegar incompletas, gerando até informações distorcidas e confusas ou criando inverdades  sobre o assunto. 

Nas coberturas da mídia hegemônica, as imagens e os assuntos são conflitos e fome no país vizinho. Mas ao mesmo tempo, no Brasil existem muitos apoiadores que são solidários ao governo de Nicolás Maduro, atual presidente venezuelano. Para o monge beneditino Marcelo Barros é muito importante que os brasileiros saibam o que realmente está acontecendo na Venezuela e apoiem o país vizinho. 

“A Venezuela é hoje um símbolo de esperança de mudança para o mundo todo. Tentou o bolivarianismo novo, que é na linha de um socialismo novo, democrático popular, que é na linha das comunidades indígenas, das comunidades negras e das comunidades populares, dos pobres. E tirou uma multidão de gente da miséria. O imperialismo norte-americano e a imprensa internacional têm feito uma guerra de notícias terríveis, espalhando todo tipo de boato. Mas é importante que a gente consiga vencer isso dando uma informação correta. É importante o apoio de todo brasileiro ao que está acontecendo na Venezuela”, disse.

Há muitos interesses internacionais de países como os Estados Unidos em torno da Venezuela, principalmente por suas riquezas como a grande quantidade de petróleo, mas também suas outras riquezas naturais. E o governo Nicolás Maduro tem declarado a independência do país para gerir suas riquezas, dando continuidade ao governo de Hugo Chávez. O economista e cientista político Pedro Lapa explica porque com tanta riqueza a Venezuela vive períodos de desabastecimento de alimentos. 

“Como estamos conversando entre brasileiros, podemos dizer que o processo eleitoral no Brasil recebe muita influência da taxa de câmbio. Devemos lembrar que sempre que estamos próximos de eleição há instabilidade na taxa de câmbio. Na Venezuela é um pouco diferente, e lá o instrumento pelo poder econômico e pelas elites é provocar desabastecimento. Essa é uma tradição da política venezuelana. A afirmação: ‘está faltando alimento na Venezuela’, na verdade deve ser entendida como os conservadores, o poder econômico continuam a utilizar esse discurso do desabastecimento”, explica Lapa.

Edição: Catarina de Angola