DESIGUALDADE

Milionários aumentam 20% na Índia, mas renda de 670 milhões cresce apenas 1%

Dados sobre o crescimento da riqueza por setores na Índia muitas vezes escondem o aumento da pobreza no país

Desigualdade de renda e riqueza na Índia continua se intensificando; na foto, maior lavanderia a céu aberto do mundo, em Mumbai / Franx'/Flickr

Dois relatórios divulgados neste ano captam o cenário de desigualdade da Índia moderna. Um aponta que, em 2017, o número de milionários do país – indivíduos com riqueza superior a 1 milhão de dólares – cresceu 20%, assim como a riqueza deles. O outro documento, publicado no início deste ano, indica que 73% da riqueza gerada entre 2016 e 2017 foi para a parcela 1% mais rica da sociedade, enquanto 670 milhões de indianos – que compõem metade da população do país – registraram um aumento ínfimo de 1% em sua riqueza.

O fato de que esses dados estão em dois relatórios distintos – um sobre os ricos e outro sobre os pobres –, por si só, já revela a profunda desigualdade da Índia. Mas, para além disso, é possível analisar o significado do que os estudos apontam.

O relatório sobre os milionários faz parte de uma série de documentos semelhantes, repletos de dados, divulgados por instituições financeiras internacionais, sendo o mais recente elaborado pela consultoria francesa Capgemini. O cálculo dos milionários é feito com base no valor do patrimônio e no número de propriedades de cada indivíduo. Em 2016, eram 219 mil milionários na Índia, número que aumentou para 263 mil em 2017, segundo o relatório.

Esse resultado se deu porque a capitalização do mercado (valor de mercado das ações) aumentou 50%, enquanto o preço dos imóveis subiu cerca de 5%, contribuindo para o aumento da riqueza. Impulsionada por esses fatores, somado à renda que continua alta, a riqueza total desses milionários passou de US$ 1 trilhão em 2017.

Outro relatório referente a 2017, elaborado pelo instituto de pesquisa do banco de investimentos suíço Credit Suisse, revelou que cerca de 73% da riqueza total acumulada da Índia está nas mãos dos 10% mais ricos da população. E, dentro dessa faixa, o 1% mais rico do país detém surpreendentes 45%.

Desigualdade de renda

No entanto, outros relatórios, incluindo o da Oxfam – organização que atua na busca de soluções para o problema da pobreza e da injustiça pelo mundo –, revelam que existe uma desigualdade parecida também em termos de renda.

A parcela 1% mais rica da população concentrou 73% da renda gerada em 2016 e 2017, o que significa que a riqueza desses indivíduos cresceu mais de US$ 300 bilhões. O valor é equivalente ao orçamento total do governo indiano para 2017 e 2018.

Observando dados ao longo dos anos, há uma tendência bastante reveladora. Uma análise mostrou que, desde o início da liberalização econômica da Índia, a desigualdade de renda no país cresceu vertiginosamente.

Entre 1988 e 2011, a renda dos 10% mais pobres do país cresceu 1% por ano, enquanto a renda dos 10% mais ricos aumentou 25% anualmente.

O economista francês Thomas Piketty e outros pesquisadores do World Inequality Lab (Laboratório das Desigualdades Mundiais) demonstraram que, de cerca de 36% da renda nacional em 1980, os 10% mais ricos da Índia aumentaram sua fatia para mais de 50% em 2014. E, desde os anos 2000, esse aumento tem acontecido em um ritmo ainda mais acelerado.

Vídeo

NewsClick, parceiro do Brasil de Fato na Índia, produziu um vídeo que explica as desigualdades na Índia. Assista à matéria abaixo. Para ativar as legendas em português, clique no ícone de "Legendas/Legendas Ocultas" no canto inferior direito do vídeo.

Edição: NewsClick | Tradução: Aline Scátola