África

Parlamento da Etiópia elege primeira mulher presidenta

Na ONU, Sahle-Work Zewde ocupou vários cargos, como o de chefe da Missão das Nações Unidas na República Centro-Africana

"Eu sou produto de pessoas que lutaram pela igualdade e liberdade política neste país", declarou Sahle-Work Zewde / ONU News

O Parlamento da Etiópia elegeu essa quinta-feira (25), por unanimidade, Sahle-Work Zewde como presidenta do país. A primeira etíope que ocupa o cargo representou as Nações Unidas na União Africana.

Quando foi nomeada para exercer essa função, em junho, o secretário-geral da ONU destacou que ela era a primeira mulher ocupando o posto. Antes, Zewde chefiou o Escritório da organização em Nairobi, no Quénia.

A presidente da Assembleia Geral, María Fernanda Espinosa, reagiu à eleição da nova chefe de Estado etíope dizendo estar orgulhosa do fato de uma ex-funcionária da ONU se tornar a primeira presidenta do país africano. Na saudação feita no Twitter, Espinosa destaca que as mulheres fazem a diferença.

Na mesma rede social, a diretora executiva da ONU Mulheres, Phumzile Mlambo-Ngcuka, felicitou a nova presidenta etíope dizendo que a data é para comemorar.

Na ONU, Sahle-Work Zewde  ocupou vários cargos, incluindo o de chefe da Missão das Nações Unidas na República Centro-Africana (Minusca).

Em mais de 30 anos de carreira diplomática, Zewde foi embaixadora da Etiópia no Senegal, no Djibuti e na França, onde esteve como representante permanente da Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (Unesco).

Em representação do seu país, destacam-se as presenças de Sahle-Work Zewde na Tunísia, no Marrocos, na Autoridade Intergovernamental para o Desenvolvimento e no Senegal, com acreditação no Mali, em Cabo Verde, na Guiné-Bissau, na Gâmbia e na Guiné Conacri.

Edição: ONU News