Democracia

Alto comparecimento às urnas marca eleições municipais em Cuba

Dos mais de 27 mil candidatos que estavam na disputa, 12.515 serão eleitos para as 168 Assembleias Municipais do país

Jovens estudantes fazem a guarda das urnas eleitorais durante votação / Ismael Francisco/ Cubadebate

Mais de 7,2 milhões de cubanos foram às urnas nas eleições municipais deste domingo (26), o que representa 82,05% daqueles que tinham direito ao voto, informou a Comissão Eleitoral Nacional de Cuba (CEN).

A presidente da entidade, Alina Balseiro, disse que o dia foi "intenso e complexo", especialmente por causa da onda de mau tempo que atingiu a ilha durante o domingo. Por conta disso, os locais de votação ficaram abertos uma hora a mais do que o previsto para que todos os eleitores pudessem votar.

Dos mais de 27 mil candidatos que estavam na disputa, 12.515 serão eleitos para as 168 Assembleias Municipais de todo o território. Dentre os eleitos, que são chamados de delegados, sairão os indicados os candidatos a deputados para a Assembleia Nacional. 

A eleição para que os cubanos escolham quem serão seus representantes na Assembleia deve ocorrer "nas próximas semanas", em pleito que ainda não tem data marcada. Os eleitos para Parlamento terão a missão de ratificar, no dia 24 de fevereiro de 2018, o nome do novo presidente do país.

O atual mandatário, Raúl Castro, já anunciou que não concorrerá às eleições, pondo fim a mais de 60 anos de governo dos irmãos Fidel e Raúl.

De acordo com analistas, um forte candidato para assumir a Presidência é Miguel Díaz-Canel Bermudez, que atualmente é vice-presidente do Conselho de Estado e do Conselho de Ministros.

Essa foi a primeira eleição desde que o líder da Revolução Cubana faleceu. Fidel morreu em 25 de novembro do ano passado e recebeu uma série de homenagens dos cubanos durante o fim de semana. 

(*) Com Ansa

Edição: Opera Mundi