IMPASSE

Professores de Contagem em greve por reajuste

Proposta do município é parcelar aumento nos próximos quatro anos

Belo Horizonte

,
A paralisação já dura mais de 40 dias / Reprodução / Sind-Ute Contagem

Professores municipais de Contatem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, estão em greve há 40 dias, por reajuste de salário - que não acontece desde 2014 - e melhores condições de trabalho. A paralisação atingiu 20% das escolas, segundo a Prefeitura. 

O reajuste proposto pela Prefeitura, apresentado em 26 de abril, se refere a maio de 2014 a abril de 2016, para a recomposição salarial de acordo com a inflação. O aumento seria de 19,7% pago em quatro parcelas anuais, a começar em maio de 2017. Os trabalhadores recusaram a proposta.

“Caso nós aceitamos isso, congelamos nosso reajuste salarial por quatro anos”, afirma Jacqueline Assis, diretora do Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação (SindUTE-Contagem).

Corte de ponto

Os professores em greve enfrentam também o corte de dias de trabalho na sua folha de pagamento. Sueli Rocha, professora do ensino fundamental há 15 anos, conta que recebeu metade do seu salário neste mês. A prefeitura afirma que a negociação do pagamento dos pontos só acontecerá ao final da paralisação.

Na segunda (2) pela manhã, os professores realizaram mais um protesto, na avenida João César de Oliveira. Eles afirmam que não retornarão da greve até que a prefeitura reveja a proposta apresentada.