Educação

Polícia Militar desocupa Escolas Técnicas em SP sem mandados

Ações foram realizadas em quatro prédios e deteve cerca de 50 estudantes secundaristas

São Paulo

,
Polícia Militar agiu sob recomendação da Procuradoria Geral do Estado / José Eduardo Bernardes/ Brasil de Fato

A Polícia Militar invadiu ao menos quatro prédios ocupados por alunos secundaristas na manhã desta sexta-feira (13). Durante a ação, que foi executada sem mandados de reintegração de posse, cerca de 50 alunos foram presos. Entre os prédios reintegrados pela PM estão a Escola Técnica Estadual de São Paulo (Etesp) e as diretorias de ensino Centro Oeste, Norte e Guarulhos. Outras duas Escolas Técnicas (Etecs) foram desocupadas durante a noite: a Etec Basilides Godoy, na Vila Leopoldina, e Horácio Augusto da Silveira, na Vila Guilherme. 

Os alunos foram encaminhados para três Distritos Policiais: o 7º DP, na Lapa; o 23º DP, em Perdizes; e o 3º DP, nos Campos Elíseos. Os estudantes que ocupavam a Diretoria de Ensino Centro Oeste foram levados primeiramente ao 91ºDP e de lá, encaminhados ao 23º DP. Segundo os policiais do Distrito, 36 alunos permanecem na unidade. Eles serão fichados e posteriormente liberados. A acusação seria de danos ao patrimônio. 

No 7º DP, para onde foram encaminhados os alunos da Diretoria de Ensino Norte, cerca de 15 alunos ainda permanecem detidos. Advogados ativistas, que acompanham a ação policial informam que dois maiores serão acusados por roubo e outros dois menores serão autuados por desobediência. Os policiais do Distrito não confirmaram a informação.   

A estudante Ana Carolina, que estava na Etesp no momento da invasão da Polícia Militar, afirma que às 6h da manhã, a PM “começou a tirar os alunos a força, sem apresentar o mandado de reintegração de posse”. Os alunos seguem do lado de fora, onde protestam com cartazes e faixas contra a operação policial. 

Secretaria de Segurança Pública

Em nota, a Secretaria de Segurança Pública afirmou que duas pessoas foram presas por furto na Diretoria de Ensino de Guarulhos e que os “outros manifestantes foram conduzidos às delegacias de cada região para serem identificados e prestarem esclarecimentos”, afirma a nota.

A ação da Polícia Militar teve o aval da Procuradoria Geral do Estado. O órgão respondeu a um questionamento do então secretário de Segurança Pública, Alexandre de Moraes (atual ministro da Justiça do governo interino de Michel Temer), para executar reintegrações sem expedição de mandados. 

A SSP confirma na nota que a “PM agiu a pedido dos órgãos que administram os espaços públicos e sob recomendação de parecer da PGE”.