MOVIMENTOS POPULARES

Dia Nacional de Luta em Defesa da Democracia e Contra o Golpe

Em Pernambuco, aconteceram paralisações e trancamentos

Pernambuco

,
Manifestação dos trabalhadores e trabalhadoras foi reprimida pela Polícia Militar / Frente Brasil Popular

Eram 4h30 da manhã da última terça-feira (10.05), quando cerca de 1000 pessoas de Movimentos Populares, Sindicatos e Partidos que compõem a Frente Brasil Popular, fecharam a BR-101, na altura do Complexo de Suape, município de Jaboatão dos Guararapes, em Pernambuco. Esse foi um dos atos que aconteceram nesse Dia Nacional de Luta em Defesa da Democracia e Contra o Golpe, que previa uma jornada nacional de paralisação.

Na Região Metropolitana do Recife, várias fábricas paralisaram por algum momento suas atividades. Os bancários fecharam as agências da Avenida Conde da Boa Vista, no centro da capital pernambucana, durante a manhã. Metrôs só funcionaram em horários de maior movimento. Caruaru, Petrolina, Pesqueira, Goiana e muitas outras cidades realizaram trancamentos de rodovias. Todas e todos mobilizados para defender a democracia.

Em Suape, a ação de trancamento da BR-101 ficou até as 10h da manhã, quando a tropa de choque da Polícia Militar chegou fortemente armada, jogando bombas de gás lacrimogênio e efetuando disparos com balas de borracha. Três pessoas ficaram feridas pelos disparos e muitas passaram mal por conta da inalação do gás.

O dirigente nacional do MST, Jaime Amorim, pontua que o Governo do Estado é culpado pela ação desmedida da Polícia Militar e explica: “Infelizmente, mais uma vez, a truculência da Polícia Militar atropela a luta dos trabalhadores. É a ditadura das elites contra a classe trabalhadora. Cabe a nós, agora, além de continuar a nossa luta contra o golpe e em defesa da democracia, também denunciar esse tipo de manifestação do Governo do Estado, que sabia que hoje é o Dia Nacional de Mobilização e não caberia repressão policial”.

“Esse dia 10 foi fundamental, principalmente pela capilaridade de atos no estado. Diversas paralisações estão programadas para os próximos dias, pois não vamos reconhecer esse governo ilegítimo, que nasce através de uma farsa. Estamos nos preparando para a greve geral. Os metroviários são a primeira categoria que adere à greve no nosso estado, mas esse é só o começo”, pontua Carlos Veras, presidente da Central Única dos Trabalhadores (CUT) de Pernambuco.

Em Caruaru, cerca de 1000 manifestantes percorreram as principais ruas da cidade e encerraram a manifestação no Marco Zero. Renata Villa Nova, integrante do Levante Popular da Juventude afirmam que as pessoas começam perceber a necessidade de participação mais ativa.

No Vale do São Francisco, na cidade de Petrolina, as pessoas começaram a se concentrar às 14h, na Praça do Bambuzinho, e saíram em marcha por volta das 16h. Diversas organizações participaram do momento, que contou com cerca de 8 mil pessoas. A ponte Presidente Dutra, que liga as cidades de Petrolina e Juazeiro-BA, ficou bloqueada no encontro dos atos das duas cidades.

As professoras e professores do município paralisaram as atividades durante 24h, em adesão ao dia de paralisação geral. Robson José do Nascimento, coordenador geral do Sintepe de Petrolina, explica o que motivou a categoria para esse dia: “Nossa categoria entende que o momento é desfavorável para a classe trabalhadora e não vai aceitar nenhum tipo de retrocesso dos direitos conquistados em tantos anos de luta. Paramos, nesta terça, para mostrar que estamos dispostos a continuar na luta”.