Coluna

Jucá revela a verdadeira intenção do governo Temer

Imagem de perfil do Colunista
25 de Maio de 2016 às 16:21
Homem forte do governo Temer queria acabar com a Lava Jato / Agência Brasil
Jucá, braço direito de Temer foi derrubado, mas imprensa finge que nada ocorre

Ficou evidente que a mobilização para retirar Dilma da Presidência era parte do plano de barrar as investigações da Lava Jato, para que não atingisse o PMDB e seus comparsas nessa ação criminosa. 

Jucá, braço direito de Temer foi derrubado, mas a imprensa tradicional se esforça para tentar fingir que nada aconteceu. 

Temos dois cenários pela frente e uma pauta que pode unir a massa que foi manobrada achando que estava combatendo a corrupção. Muitos já envergonhados. 

A questão é que precisamos ser realistas. Defender Dilma é fundamental, pois ela é a democracia. Os votos de 54 milhões de brasileiros. Se os senadores tiverem vergonha na cara, mudarão seus votos e absolverão a presidenta. 

Dilma retornando, poderia agir com sensibilidade e gentileza e oferecer ao povo uma consulta popular, um plebiscito, sobre novas eleições presidenciais. Isso a colocaria no altar da dignidade. Pois, demonstra a nobreza de, mesmo após ser injustiçada, reconhecer a importância da opinião popular. 

Por outro lado, se Dilma não retornar, o governo de Temer seguirá sendo ilegítimo e somente uma campanha pelas "Diretas Já!" poderá resgatar a democracia. 

Com eleições diretas o povo poderia decidir se quer Temer no poder. E já sabemos que a grande maioria não quer.

Diante desse Congresso composto por uma maioria criminosa, que impossibilita qualquer tentativa de reforma política séria, precisamos estar prontos para a possibilidade de novas eleições. Mais que isso.

Essa pauta poderá criar um novo ambiente político para o país que afunda cada dia mais numa crise política sem precedentes.