ALTERNATIVA

Rádio online criada por indígenas difunde atualidade da cultura das aldeias

Plataforma foi desenvolvida por comunicadores e há três anos procura desfazer estereótipos

Belo Horizonte

,
A Rádio Yandê é a primeira iniciativa do tipo do Brasil / Divulgação

A Rádio Yandê foi criada por três comunicadores indígenas para dar a sua visão aos conteúdos relacionados à cultura proveniente das aldeias. A plataforma é online e foi desenvolvida em 2013 por Anápuáka Tupinambá, especialista em Gestão de Marketing, Renata Tupinambá, jornalista, e Denilson Baniwa, publicitário. O objetivo da rede de comunicação - que produz também para site, blog e redes sociais - é difundir conteúdo sem estereótipos ou embasados no folclore.

"Muitas pessoas tendem a achar que uma rádio indígena só toca música tradicional, mas temos a proposta de mostrar a atualidade da cultura, que cria rap, hip hop, forró, heavy metal, reggae e vários outros ritmos", explica Denilson.

A rádio é a primeira iniciativa do tipo no Brasil e, para dar empoderamento aos indígenas de todo o país, se baseia no conceito mais conhecido como "etnomídia". O publicitário esclarece que o significado do termo é o oposto ao dado à "comunicação de massa". A "etnomídia", ou "etnojornalismo" ou "etnocomunicação", entende que cada povo tem suas diferenças culturais e que elas devem ser respeitadas.

"A rádio incentiva que as regiões valorizem sua identidade. Algumas notícias e músicas a gente decide não traduzir pro português. A Yandê pensa que traduzir tira o significado da língua nativa. É como se quisessem colonizar aquela comunidade", relata.

Segundo ele, a estratégia é bem sucedida ao levar a sensação de reconhecimento e pertencimento aos indígenas, comumente marginalizados e fantasiados pela mídia tradicional. Além disso, instiga que aqueles que conhecem a cultura apenas superficialmente busquem conhecimento.

Reconhecendo a própria força

Com programas informativos e educativos, a rádio veicula o pensamento, história e luta dos índios, através de produção artística e informações jornalísticas. Para Denilson, essa é uma forma de que os jovens que nasceram ou cresceram nessa cultura tenham orgulho da origem e saibam, também, que não precisam ser reféns dela.

"Eles podem ser o que quiserem. Tem indígena publicando livro, cursando diversos cursos em universidades. A gente vive uma situação de alta violência aos direitos dos índios e queremos dar um ânimo à juventude, dizer para eles que eles têm o que produzir", ressalta.

Para conhecer o trabalho do Rádio, basta acessar o site e ficar por dentro da programação.