Agroecologia

Baixada já tem feira de alimentos sem veneno

Nas zonas norte e oeste também há pontos de comercialização de produtos orgânicos

Rio de Janeiro

,
Feiras agroecológicas facilitam acesso à alimentação saudável / Pablo Vergara

Feiras agroecológicas estão deixando de se concentrar apenas na zona sul e no centro para ocuparem também a zona norte, oeste e outras cidades da região metropolitana. É nesses espaços que agricultores vendem alimentos orgânicos, ou seja, aqueles cultivados sem agrotóxicos.

Campo Grande, Tijuca, Olaria, Ilha do Governador, Queimados e Nova Iguaçu são algumas dessas localidades. Quem visita essas feiras pode encontrar legumes, verduras, hortaliças e frutas sem veneno. 

Segundo a geógrafa Uschi Silva, muita gente acha que alimento orgânico é só para quem tem mais dinheiro. “Existe um mito de que orgânicos são só para os ricos. Essas feiras estão mostrando que alimento saudável é também para o povo, e o preço está longe de ser mais caro que o do supermercado”, afirma. 

O agrônomo Claudemar Mattos explica que a produção orgânica não custa mais que a produção convencional. “O alimento orgânico acaba sendo mais caro quando ele está na gôndola do supermercado chique. Ou também por causa da oferta e da procura. Mas o custo de produção não é mais caro, isso é um mito”, justifica. 

Diferenças entre agricultura convencional e orgânica

A agricultura convencional utiliza três elementos para o cultivo: o agrotóxico, as sementes industriais e os adubos químicos.

De acordo com Mattos, a agroecologia substitui sementes industriais por sementes guardadas de uma safra para outra. Além disso, receitas caseiras são usadas para combater pragas no lugar de agrotóxicos.

Os agricultores também deixam de usar adubos químicos porque manejam a terra, reciclam nutrientes e conservam o solo. “A agroecologia não é da indústria, é de trabalhador para trabalhador. Não contamina a natureza nem o próximo, e promove a saúde”, completa o agrônomo.

Serviço - Feiras agroecológicas

Campo Grande: Av. Marechal Dantas Barreto, 95, atrás do estacionamento do West Shopping. Sábados, de 7h às 13h

Tijuca: Praça Afonso Pena. Quintas, de 7h às 13h.

Olaria: Praça Marechal Maurício Cardoso. Sábados, de 7h às 13h.

Ilha: Praça Jerusalém, em frente ao Esporte Clube Jardim Guanabara. Sábados, de 7h às 13h.

Nova Iguaçu: Praça Rui Barbosa, Centro. Quartas, de 8h às 17h.

Queimados: Rua Elói Teixeira, s/n, Centro, passarela sob a linha férrea. Quintas, de 8h às 14h.