Discussão

Senadores solicitam convocação de procurador que pede arquivamento do impeachment

Pedido foi feito durante leitura do relatório do senador Anastasia, nesta terça-feira (2)

São Paulo

,
Agora, o presidente da Comissão, senador Raimundo Lira (PMDB-PB) oferecerá vista do texto aos senadores / Agência Brasil

O relator do processo de impeachment na Comissão Especial do Senado, Antonio Anastasia (PSDB-MG), realizou nesta terça-feira (2), a leitura de seu relatório na Casa. No entanto, antes da leitura do relatório, a senadora Gleisi Hoffman (PT-RS) pediu que o procurador do Ministério Público Federal (MPF), Ivan Claúdio Marx, fosse convocado para apresentar seu parecer. O procurador pede o arquivamento do processo de impeachment, já que, em sua análise, não há a participação da presidenta Dilma Roussef nas chamadas “pedaladas fiscais”. 

Na mesma linha, o senador Humberto Costa (PT-PE), reforçou o pedido de convocação para complementar os trabalhos da Comissão. “É fundamental que tenhamos aqui o depoimento desse procurador, para saber como ele chegou a esse entendimento”. O pedido de convocação, no entanto, foi negado pela Comissão do Senado.

Relatório

O documento de Anastasia, que contém 441 páginas, foi lido pelo senador durante toda a tarde. Nele, ele sugeriu que a presidenta Dilma Roussef deve ser julgada no plenário da Casa pela “abertura de créditos suplementares sem autorização do Congresso Nacional" e a "realização de operações de crédito com instituição financeira controlada pela União”.

Cronograma

Com a leitura do relatório, o presidente da Comissão, senador Raimundo Lira (PMDB-PB), deve oferecer vista do texto aos senadores, que discutem o conteúdo apresentado por Anastasia, nesta quarta-feira (3). Já a votação do relatório só deve acontecer na quinta-feira (4). 

Após o voto dos senadores da Comissão, o processo será encaminhado ao plenário do Senado e a votação deverá acontecer na terça-feira (9). Caso o plenário decida pela continuidade da denúncia contra Dilma, ela irá a julgamento final no Senado. 

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Ricardo Lewandowski, acredita que a votação deverá começar no dia 29 de agosto.

Edição: Simone Freire