Coluna

Golpe de Temer está sendo escancarado ao mundo

Imagem de perfil do Colunista
Cartazes de "Fora Temer" se espalham pelos Jogos / Divulgação
Temer e seus comparsas roubaram a democracia e a alegria de um evento tão lindo

As Olimpíadas são sobre esportes, mas também sobre política. Nos Jogos Olímpicos da Alemanha de 1936, tornou-se célebre o momento em que o atleta negro campeão Jesse Owens foi saudado por Hitler, fazendo o líder alemão se curvar a alguém que considerava um inimigo. 

E em 1968, no México, dois atletas norte-americanos levantaram os punhos no pódio representando os Panteras Negras, que estavam lutando contra discriminação racial nos EUA. Em Munique, nos Jogos de 1972, jovens palestinos pegaram como reféns atletas israelenses, para denunciar a guerra contra seu país. 

Os Jogos Olímpicos têm por objetivo celebrar através dos esportes um espírito de competição saudável, de união e respeito entre os povos. Mas, por chamar atenção de tanta gente, também servem de palco para manifestações políticas.

Dessa vez no Brasil, o mundo acompanhou a covardia do presidente interino Michel Temer. Não tendo seu nome anunciado, protagonizou uma vaia monumental ao declarar abertos os Jogos. 

Placas, cartazes e manifestações de “Fora Temer” se espalharam pelos Jogos. Esse ato incomodou o covarde governante e gerou repressão, mostrando que vivemos um momento crítico que precisa ser denunciado para todas as nações. A ausência dos chefes de Estado estrangeiros também deixa evidente que o governo Temer não tem o reconhecimento mundial. 

Infelizmente entraremos para a História como um país que recebeu as Olimpíadas em meio a um golpe político, o que deixa uma cicatriz feia para um momento tão especial de celebração. Temer e seus comparsas roubaram a democracia e a alegria de um evento tão lindo.