LARGADA

Diferença, e ausência, de projetos marca 1º debate dos candidatos à Prefeitura de BH

Campanha eleitoral tem início em Belo Horizonte

Belo Horizonte

,
Nove candidatos e duas candidatas iniciam a campanha eleitoral para prefeitura de Belo Horizonte / Tânia Rêgo / Agência Brasil

Os 11 candidatos à Prefeitura de Belo Horizonte - nove homens e duas mulheres -  enfrentaram seu primeiro debate frente a pelo menos 300 pessoas na noite de quarta-feira (17) na Igreja da Boa Viagem, no Centro da capital. Numa disputa que envolve 19 partidos, o evento serviu para demonstrar as propostas das chapas, ou a ausência delas.

O público teve a oportunidade de conhecer a biografia dos elegíveis. Os políticos fizeram questão de ressaltar sua origem e história, muitas das vezes em favelas e “bairros de característica interiorana” de BH. 

Nas propostas, os candidatos acabaram por se dividir em apoiadores ou opositores da gestão de Marcio Lacerda (PSB), atual prefeito. Um terceiro bloco se formou pelos que optaram por não apresentar propostas, como Luis Tibé (PTdoB) e Alexandre Kalil (PHS). “Não vamos prometer o que não serve. Existe uma palavra que vem do latim que é o ignoratum, que é ‘eu não sei como fazer’. Não sei fazer. Não sabemos fazer” assumiu, por si e pelos colegas o ex-presidente do Atlético Mineiro.

Os apoiadores do governo Lacerda ressaltaram as Unidades Municipais de Educação Básica (UMEIs), feitas através de parceria público privada (PPP), como uma das principais políticas a serem ampliadas e aperfeiçoadas. É o caso de Álvaro Antônio (PR), Rodrigo Pacheco (PMDB), Sargento Rodrigues (PDT) e Délio Malheiros (PSB), que foi amplamente vaiado ao se referir a Lacerda como “um dos gestores públicos mais honestos, corretos e eficientes”. 

Rodrigo Pacheco e João Leite (PSDB) foram interrompidos pelo público que protestava contra o governo interino de Michel Temer (PMDB), classificado como “golpista”.

Oposição

Com um projeto de oposição à gestão Lacerda se colocaram os candidatos Reginaldo Lopes (PT), Maria da Consolação (PSOL) e Vanessa Portugal (PSTU). Eles foram também os únicos a falar sobre a situação da política nacional. Vanessa Portugal chegou a apontar as propostas dos oponentes como “conversa fiada” já que, segundo ela, com o governo interino de Michel Temer, haverá verba para tais políticas.

“Se for aprovada a lei que limita os gastos públicos ao aumento da inflação, não tem mais UMEI. Não tem mais investimento na saúde”, afirmou a candidata. “A cidade não é independente do país e aqui todos os grandes partidos estão com suas bancadas lá [no Congresso Nacional] votando para destruir a cidade”, reforçou. 

Vanessa Portugal e Maria da Consolação aproveitaram para denunciar que segundo a legislação atual, as redes de TV não são obrigadas a convidá-las para os debates, já que seus partidos não têm o mínimo de nove deputados na Câmara Federal. Como únicas mulheres candidatas à prefeitura, elas pediram aos demais candidatos e ao público presente que façam campanha pela sua presença nos debates. 

Calendário eleitoral

A propaganda política teve início oficial em 16 de agosto, seguindo orientações do Tribunal Superior Eleitoral, e em 26 de agosto, tem início nas emissoras de TV e rádio. O primeiro turno das eleições acontece em 2 de outubro e o segundo turno em 30 de outubro.

Confira como estão as candidaturas em algumas cidades da Região Metropolitana:

Betim

Betim conta com 11 pré-candidatos à prefeitura. São eles o empresário Vittorio Medioli, PHS), Eutair dos Santos (PT), Weliton Sapão (PPS), Ivair Nogueira (PMDB), Erasmo da Academia (PSC), Beto do Depósito (PSDC), Wenceslau Moura (PSB), Fernando Mendonça (PSL), Wilson de Souza (PSOL), Dorinha (PSTU) e José Augusto Bernardes (PCB). Medioli, que é dono do jornal O Tempo, tem apoio de 15 partidos e é um dos favoritos para o cargo. Ex-deputado federal, foi condenado a cinco anos e cinco meses de prisão pelos crimes de evasão de divisas e manutenção clandestina de depósitos no exterior.

Contagem

Contagem tem cinco nomes para disputar o Executivo: Ademir Lucas (PR), Alex de Freitas (PSDB), Irineu Inácio da Silva (PSD), Jander Filaretti (PMBD) e Carlin Moura (PCdoB), que tentará a reeleição. Segundo a última pesquisa do DataTempo/CP2, realizada entre 20 e 22 de julho, Moura lidera a corrida para a prefeitura, contabilizando 27% das intenções de voto. Em segundo lugar aparece o ex-tucano Ademir Lucas (PR), com 22,4%, e em terceiro, o ex-vereador e empresário Jander Filaretti (PMDB), com 7,3%.

Vespasiano

Em Vespasiano, os pré-candidatos são Adriana Lara (PT), Ilce Rocha (PSDB), Luciano Costa (PRB), Pastor Maurílio Santana (REDE) e William Soares Santos (PSOL).