Moradia

MTST ocupa quarto terreno na Cidade Industrial de Curitiba

Ação aconteceu neste sábado (17), por volta das 8h, e contou com cerca de 200 famílias

Curitiba (PR)

,
O terreno ocupado fica ao lado de outras duas ocupações urbanas, em frente à fábrica da Toshiba / MTST-PR

Cerca de 200 famílias ocuparam na manhã deste sábado (16), por volta das 8h, um terreno vazio localizado na Cidade Industrial de Curitiba (CIC), na Vila Sabará, fronteira com o município de Araucária. As famílias, organizadas pelo Movimento dos Trabalhadores Sem Teto do Paraná (MTST-PR), batizaram a ocupação de 'Dona Cida', militante sem teto que faleceu em julho, após esperar dois anos por uma cirurgia no rim.  

De acordo com um dos coordenadores do MTST-PR, Fernando Marcelino, a ação tem o objetivo de fortalecer a luta por moradia digna em Curitiba. "O alto preço dos aluguéis e o aumento do desemprego levam as pessoas a participar de ocupações como única alternativa de moradia", afirma Marcelino. 

O local, de aproximadamente 20 mil metros quadrados, segundo informações do MTST-PR, fica muito próximo a outras três ocupações urbanas, também organizadas pelo movimento. Duas delas, em frente à fábrica da Toshiba- as ocupações Nova Primavera e 29 de março-, possuem projetos para a construção de condomínios populares e acordo negociado com o poder público municipal, mas enfrentam lentidão burocrática e estão ameaçadas pelos cortes de recursos do governo Michel Temer (PMDB) no programa Minha Casa, Minha Vida. 

A Ocupação Tiradentes, do dia 17 de abril de 2015, é a mais recente e possui um terreno com 145,2 mil metros quadrados, disputado pela empresa vizinha Essensis Soluções ambientais, que busca ampliar seus negócios na região.Juntas, as três ocupações abrigam cerca de 1200 famílias que fogem dos altos aluguéis e que aguardam na fila da Companhia de Habitação Popular de Curitiba (COHAB). 

A nova ocupação 'Dona Cida', junto com as outras três ocupações organizadas pelo movimento, formará o complexo 'Hugo Chávez", como explica Marcelino. 

Déficit Habitacional

Segundo informações da Fundação João Pinheiro (com dados do Censo 2010), o déficit habitacional de Curitiba, no caso o número de casas que precisam ser construídas, é de 49.165 (8,5% do total de domicílios). Já o número de lares que precisam de melhorias, como complementação da rede de infraestrutura ou construção de cômodos, o que é chamado de Inadequação de Domicílios, é de 24.883 (4,3% do total de domicílios).

Até abril deste ano, a Companhia de Habitação de Popular de Curitiba (Cohab) possuía 65,1 mil pessoas cadastradas em busca de um financiamento habitacional.