LGBT

Parada da Diversidade de PE pede mais direitos à população LGBT

Entre as reinvindicações estão o acesso ao mercado de trabalho para trans e a criminalização da homo e transfobia

São Paulo

,
Parada da Diversidade de Pernambuco / Sumaia Villela/Agência Brasil

Sob o tema “Democracia Fora do Armário”, aconteceu no último domingo (18), a Parada da Diversidade de Pernambuco, em Recife. Em sua 15ª edição, o evento deu espaço à defesa de direitos básicos da população LGBT e pediu a criminalização da homofobia, da transfobia, além do acesso ao mercado de trabalho para a população trans.

Pernambuco não possui uma lei que criminalize atos de preconceito contra sexualidade e gênero, e apenas alguns municípios defendem tais populações, como Recife, Belém de São Francisco e Caruaru, como destaca Rivânia Rodrigues, uma das coordenadoras do Fórum LGBT de Pernambuco à Agência Brasil.

Ao todo, 12 trios elétricos desfilaram com bandas e representantes dos movimentos LGBTs presentes. Cada carro trouxe temas específicos.

No carro que trazia o movimento trans, a mensagem era por mais acesso ao mercado de trabalho e o fim da violência contra a população. O Brasil é o líder mundial no vergonhoso ranking de países que mais matam transexuais, segundo a organização Transgender Europe (TGE).

Mas o carro também lembra que, apesar do momento de luta, a população T também tem conseguido cada vez mais visibilidade e não vivem apenas às escuras.

Entre os vários apoiadores, dois grupos religiosos marcaram presença no ato, entre eles membros da Igreja Batista do Jardim São Paulo e a Comunidade Cristã Nova Esperança, que distribuiu panfletos com mensagens de amor.

Edição: José Eduardo Bernardes