Relações Exteriores

Para presidenta do Chile, impeachment foi mais fácil porque Dilma é mulher

A afirmação ocorreu durante conferência em Washington sobre a participação de mulheres na política

Brasil de Fato* | São Paulo (SP)

,
Bachelet afirmou que também sofreu sexismo durante campanha à Presidência do Chile / Gobierno de Chile

A presidenta do Chile, Michelle Bachelet, desaprovou o impeachment de Dilma Rousseff (PT) e ressaltou que o processo foi facilitado pelo fato da acusada ser mulher. A afirmação ocorreu durante conferência no centro de estudos Wilson Center de Washington, capital norte-americana.

A líder do Partido Socialista Chileno disse ser amiga de Dilma e que conversa com ela por telefone. Tanto a ex-presidenta brasileira quanto Bachelet foram as primeiras mulheres a assumirem os cargos de presidência em seus países

Os comentários ocorreram durante uma rodada de perguntas sobre a participação de mulheres na política em um auditório com cerca de 300 pessoas.

Mulher na política

Bachelet ressaltou, após ser questionada, sobre o machismo que sofreu durante a campanha à presidência “Eu era a gorda. Sempre falam sobre quem me dá as ideias e, ainda hoje, como presidente, há muito sexismo, embora pensemos que a sociedade melhorou muito”, disse Bachelet.

A líder Chilena desaprovou também a forma como a mídia apresenta a candidata pelo Partido Democrata à presidência dos EUA, Hillary Clinton.

"Frequentemente me sinto afligida pelo modo como os veículos de imprensa tratam Hillary", acrescentou, sem se aprofundar mais no assunto.

*Com informações do OperaMundi

Edição: José Eduardo Bernardes